Brincadeira é coisa séria – a importância do brincar


Pode parecer, mas não estamos aqui de brincadeira. Ao contrário, o Tempojunto começou a partir da vontade da Patricia Marinho em registrar os momentos que ela passava com a Gabi e a Carol. Mas ele cresceu, encorpou e está se tornando também um instrumento de divulgação da importância que a brincadeira tem na vida das crianças, para seu desenvolvimento saudável. A gente acredita muito nisso. Mas você sabia que só 19% dos pais acham que brincar é importante para o desenvolvimento dos filhos? Pois é. Este é um dado da Fundação Maria Cecília Souto Vidigal, de São Paulo*. Eles trabalham seriamente com a educação infantil.

E nós queremos mudar esta estatística, contribuindo para que ela cresça e muito. Daí que lançamos hoje uma nova coluna – a Importância do Brincar. Ela estará aqui duas vezes por mês, sempre aos sábados. E aqui é o espaço em que damos voz a quem sabe mais do que a gente.

Especialistas dos mais diversos campos do desenvolvimento infantil. Eles darão seu ponto de vista sobre o brincar, brincadeiras e como nós todos podemos criar crianças felizes a partir de um mundo mais brincante.

A palavra hoje é da Patricia García, psicóloga. Segundo a especialista,  a brincadeira é uma “chave de ouro” para entender as crianças. Por meio dela, podemos saber como está o desenvolvimento, quais os questionamentos, o comportamento e as soluções que elas encontram para os acontecimentos do dia a dia.

É muito interessante ver como a especialista divide as brincadeiras e descreve a importância de cada uma. Dá uma olhada neste trecho da entrevista. Ela também descreve o que nós podemos observar em cada tipo de brincadeira.

Ela também conta o que muda se você passa a ter tempo junto com os filhos:

Ela deixa claro que os pais brincarem com seus filhos é de extrema importância. “Quanto os pais brincam com os filhos eles estão dizendo a eles que são amados e importantes”, explica Patricia. É ou não um motivo e tanto para termos todo o tempojunto possível? Ainda segundo a pesquisa citada acima, 66% dos entrevistados acreditam que o mais importante para a criança é o estímulo vindo do carinho, conversas, cantos e leituras com os pais. Mas quando perguntados sobre o que fazem na prática para estimular o desenvolvimento do filho, 55% deixa na frente da TV, para a criança aprender com desenhos e programas infantis.  O brincar nem se quer foi citado nesta parte da pesquisa. Pena, né?

Mas muito disso acontece porque mães (mais do que os pais) não sabem o que fazer com a criança na hora de brincar. Pura desinformação. No trecho abaixo, a especialista enumera uma série de fontes de informação úteis sobre brincadeiras  (incluindo o Tempojunto (; ).

Os dois trechos finais da entrevista são reservados para dois alertas importantíssimos ao brincar. Ela mostra qual o papel da brincadeira no aprendizado da criança:

E ainda faz um alerta para os objetos e brincadeiras que possam ser agressivos ou despertar uma negatividade desnecessária, olha só.

 

Aqui no blog, todos os dias tem sugestões para você e seus filhos. Não perca! E se você se inscrever na nossa Newsletter, estas dicas chegarão gratuitamente no seu e-mail. É só clicar aqui.

*A visão da sociedade sobre o desenvolvimento da primeira infância – uma pesquisa FMCSV e Ibope (2012)

3 Comments

Comente
  1. 2
    6 Dicas de como brincar com as crianças mais velhas - Blog Saúde Infantil

    […] Os benefícios do brincar são inúmeros. Através da brincadeira as crianças desenvolvem suas habilidades motoras, cognitivas, emocionais e sociais e ainda constroem vínculo com os adultos cuidadores. Só que tem mais. Quando se olha para a brincadeira do ponto de vista do adulto, além dela também no ajuda do ponto de vista físico e emocional, temos na mão uma “chave de ouro para entender nossos filhos” como informa a psicóloga Patrícia Garcia em uma entrevista ao Tempojunto. […]

+ Leave a Comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.