Pai de menina: o valor de ser pai e do tempo com as filhas – Carlos Loureiro


Hoje, Dia dos Pais, o Tempojunto completa a semana com a história do Carlos Loureiro Neto, dentista, pai de duas filhas. Quem nos chamou a atenção para o Carlos foi uma leitora do blog, a Lais que escreveu para a gente contando que uma das atividades que ele faz para manter o vínculo é pintar as unhas (veja o texto mais abaixo) da Laura, com 10 anos, e da Sofia, de 7 anos. É, não é só o governador da Bahia* que pode se gabar desta forma de curtir as filhas rsrsrs!

Então, nós resolvemos conversar com ele para saber mais sobre sua inserção no mundo feminino. E acabou que falamos sobre várias outras coisas, como a importância da presença do pai na vida da criança, a perenidade das relações que começam na primeira infância e a organização da agenda de trabalho para abrir espaço ao tempojunto com os filhos.

Ou seja, assuntos muito legais para celebrar o Dia dos Pais.

Para começar, este é o texto que deu origem à entrevista. Ele foi escrito pela Lais de Barros, no blog Vida com História.

Paciente no consultório. O Dentista pede licença para atender o telefonema da filha.
– Não se preocupe. Eu pinto para você quando chegar em casa.

Desliga e volta para a restauração.
– Sofia esta chateada porque não esmaltou a unha essa semana.

A paciente estranha. Que esforçado esse pai. Depois de embelezar tantos sorrisos ainda vai socorrer a filha, de sete anos, com uma base transparente.

– Hoje ela quer francesinha. A diversão lá em casa começa na escolha do tema. O repertório de conversas durante o cuidado com as unhas não tem fim. Atualizo acontecimentos da escola. Fazemos combinados de cores com atitudes para festa, balada, recreio. Fosco ou brilhante o esmalte sempre coordena com a ocasião. Troca de faixa nas artes marciais, pescaria com o avô, hambúrguer, cinema com os amigos, carnaval. Visito gôndolas de acessórios e novidades para manicure no mundo inteiro. Adereços desde um camuflado até pedras coloridas não faltam. Cada vez que estou com um vidro de esmalte nas mãos, recebo de presente momentos incríveis. Quanto mais detalhe minhas filhas pedem mais eu gosto.

Não é incrível?

“Brinco com elas desde que estavam na barriga da Zilda (esposa). Eu falava com as meninas na barriga, tocava e cantava”, conta Carlos. A música, por falar nela, continua fazendo parte do cotidiano da família. Carlos aproveita as músicas e a história de vida dos artistas para explicar valores às meninas.
Advinhar a música, identificar o instrumento que está tocando ou cantar é, por exemplo, a brincadeira preferida deles quando estão no carro.

“Procurei estar com elas desde pequenas e sempre abri este tempo para brincar e criar o vínculo em todas as fases”, afirma Carlos. Uma das brincadeiras que elas mais gostam hoje é de montanha-russa. Mas quando eram pequenas, brincavam muito de esconde-esconde com o pai. Carlos já subiu até em brinquedão de festas com as meninas. “E teve gente que me deu aquele olhar estranho. Mas muitas crianças entravam no brinquedo quando percebiam que havia um adulto brincando também”, explica. “Percebi esta necessidade de as crianças menores às vezes terem o adulto entrando no mundo infantil por meio da brincadeira.”

Driblando a agenda lotada

Com seu trabalho no consultório, aulas e nas funções de presidente da academia brasileira odontologia estética e consultor de uma revista especializada em estética, ele precisa abrir espaço para estar com as filhas. Carlos, como muitos de nós, passou pela fase de não ver as meninas durante toda a semana. “A Laura chegou a achar que eu havia saído de casa”, conta. Veja neste trecho da entrevista como ele encontra seu tempojunto com as filhas.

Brincadeira de menino e menina

A Laura é quem responde que não tem “essa história” de brincadeira de menino e menina. “Tem muitas brincadeiras que meninas podem gostar e outras que meninos preferem. Mas as brincadeiras não foram feitas para um ou outro. Foram feitas para as crianças”. Não precisa explicar mais nada, não é?

Como se inseriu no ambiente de meninas

Para Carlos foi muito fácil se inserir no mundo feminino. “Ser pai de menina é uma delícia”. Ele aproveita que há muitas brincadeiras que são independentes de gênero e aproveita com as filhas. “E como lido com estética, acabo me inserindo nesta área com mais facilidade”, explica.

“Tem que se doar, porque abra-se mão de algumas coisas pela família”. Esta é a dica de Carlos para os pais. Estar presente de fato é outra. Buscar atividades que sejam comuns à família, como esportes ou cozinha, por exemplo, que pais e filhos possam fazer juntos. Neste trecho da entrevista ele explica porque.

No final da entrevista, eu pedi para cada um definir o que é brincar. Aqui estão as respostas:

“Brincar é se divertir”, Sofia

“Brincar é ter um tempo com a família”, Laura

“Brincar é amar”, Carlos

E nós aqui do Tempojunto queremos cada vez mais contribuir para que adultos e crianças, pais e filhos possam fazer da brincadeira o melhor tempo possível juntos!

Tem muito mais dicas de pais, mães e de brincadeiras na nossa newsletter. Se você conhece alguém que gostaria de receber nossas brincadeiras, mande para ela o link do nosso cadastro!

*No dia 31 de maio deste ano, domingo, o governador da Bahia, Rui Costa gerou grande repercussão nas redes sociais onde apareceu pintando as unhas dos pés da filha caçula. “Um domingo de chamego com a minha caçulinha Marina. Papai ama e aprende até a pintar unha”, escreveu o governador.

Categorias

2 Comments

Comente

+ Leave a Comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.