10 dicas de como ser mais presente na vida dos seus filhos


Durante dois anos fomos colunistas do blog do Instituto Pensi do Hospital Infantil Sabará, uma referência em tratamento e cuidado infantil de São Paulo. Nós tivemos que dar um tempinho nesta parceria para dar atenção a demandas do Tempojunto, mas temos muito carinho tanto pela parceria, quanto pelo conteúdo dos artigos que escrevemos lá. É por isso que trazemos para cá estas informações tão importantes que complementam nossa missão de fazer um mundo mais brincante, conscientizar sobre a importância da brincadeira para o desenvolvimento infantil e mostrar aos pais como é possível criar um vínculo positivo e saudável com os filhos pela brincadeira, não importando o tempo, o espaço ou as situações do nosso cotidiano.

No texto deste mês, a Patricia Marinho fala sobre ser presente na vida dos filhos de uma forma leve, para além da figura de pais autoritários, pais “banco”, pais “motorista”, pais que só são sinônimo de brinquedo novo. Fica a dica.

O nascimento da minha segunda filha foi um marco na minha vida. Até então, eu costumava chegar ao final do meu dia sentindo culpa pela falta de tempo disponível para a minha filha mais velha. A culpa, este sentimento que parece nunca abandonar os adultos que resolveram se tornar pais, vinha acompanhada da tensão típica de quem vive tentando fazer mais do que consegue. Um dia, durante a minha segunda licença maternidade, resolvi parar de reclamar da falta de tempo e fazer do tempo que eu tinha o melhor possível.

Não adianta brigar contra a realidade. O que podemos é assumir as nossas escolhas e aprender a tirar proveito delas. Foi dessa constatação que nasceu o Tempojunto.

Depois de praticamente dois anos dedicada à pesquisa e à prática diária de brincadeiras entre pais e filhos, posso dizer que o principal ponto de conexão que podemos ter com as nossas crianças não é viver em função delas, mas saber aproveitar o tempo ao lado deles de forma plena.

Hoje quero seguir nesta linha de falar coisas práticas e dar 10 dicas de como ser mais presente na vida dos seus filhos.

10 dicas de como ser mais presente na vida dos seus filhos - IG

Leve um desenho em lugar de um presente.

Na próxima vez em que você tiver um dia muito puxado e for chegar em casa tarde, ou se for passar uns dias longe de casa, ao invés de compensar a criança com um presente, leve um desenho que você fez durante uma reunião. Pode ser até um boneco, daqueles de pauzinhos, feitos num post-it. Se você tiver criatividade suficiente, aproveite a hora de dormir para contar uma história com aquele boneco. Fale sobre o momento em que você fez o desenho. Isso vai demonstrar que mesmo quando estamos muito ocupados, os filhos não saem da nossa mente.

Faça um calendário do tempo que passará fora

Tenho uma amiga que viaja muito a trabalho. Sempre que se ausenta, deixa um calendário desenhado por ela para que o filho possa ir marcando os dias longe. Eu não tenho habilidade para tanto, mas passei a fazer o calendário para minha filha ir marcando com um X cada dia que passa.

Olhe no olho do seu filho enquanto vocês conversam

Isso vale o tempo todo, mas especialmente para os momentos em que ele faz perguntas.

Ignore as tarefas da primeira hora do dia

Use o tempo do acordar para ficar, sem pressão, com as crianças. Nem que seja por 10 minutinhos. Lá no blog a gente fala sempre do tanto de atividades que podem ser feitas quando tudo o que você tem disponível são esses momentos, incluindo dicas de brincadeiras para fazer na cama quando as crianças acordam.

Demonstre estar atento

Muitas vezes, tudo o que os filhos precisam é perceber que eles são importantes. Da próxima vez em que ele falar “Olhe mãe (ou pai) o que eu sei fazer?”, pare, olhe e comente.

Veja fotos de família

Sente com as crianças para rever fotos e aproveite para contar histórias engraçadas da família.

Marque um encontro

Vá ao cinema, saia para ir ao parque ou marque um almoço no restaurante preferido. O importante não é o programa, mas sim demonstrar que, pelo menos por um tempo, os filhos são total prioridade. Se eles puderem escolher o encontro, melhor ainda.

Sente no chão e convide seu filho para brincar

Quando você for brincar, mesmo que seja só um poquinho, se entregue completamente àquele momento.

Deixe bilhetes em lugares inusitados

Não vai ter tempo de ver o filho hoje? Deixe um recado no espelho do banheiro, no tênis da escola ou dentro da lancheira. Se a criança não souber ler, deixe um desenho. O importante é ela sentir a sua presença quando menos espera.

Diga para o seu filho o quanto ele importa

Taí uma coisa que nunca é demais. Agradeça por ele ser parte da família.

Uma vez por mês aqui no Tempojunto, nós abrimos espaço das dicas de brincadeiras para uma “DR” com você. Mas sem julgamentos, sem culpa. Só mesmo com soluções práticas, porque é disso que a gente precisa, né? Se você curtiu e quer nos acompanhar, inscreva-se na nossa Newsletter. É gratuita e você a recebe semanalmente no seu e-mail.

4 Comentários

Deixe sua opinião
  1. 3
    Eliany Rodrigues

    É sempre bom lembrar que a vida é simples e que sempre é possível estar junto de quem amamos. Carrego muita culpa, assim vc a maioria das mães, por precisar ficar tanto tempo longe, mas estou buscando não me machucar com isto, ser mais gentil comigo e aproveitar os​ momentos com o meu pequeno. Não é fácil e ler o que vcs escrevem ajuda bastante. Obrigada

    • 4
      Patrícia Marinho

      Olá Eliany,
      Obrigada pelo comentário. De fato, a culpa é algo que todo mundo carrega. A gente sempre acha que deveria ter feito mais. No entanto, isso é uma ilusão. Cada família precisa lidar com a sua própria realidade, sendo que nem sempre o melhor para a criança é ter a mãe do lado o tempo todo. Se ela não estiver bem com essa decisão, toda a família, incluindo a criança, sente. O que podemos fazer é usar o tempo disponível da melhor forma possível. Bom saber que nossos textos ajudam de alguma forma.
      Beijos,

      Patrícia

+ Deixe seu comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.