5 dicas para estimular seu filho a brincar sozinho


Durante dois anos escrevemos para o Hospital Infantil Sabará, uma referência em saúde infantil aqui de São Paulo. E os textos refletem questões e angústias que às vezes temos no dia a dia com nossos filhos. Por isso, trouxemos este conteúdo também para o blog, para que vocês possam aproveitar!

Um dos muitos benefícios da brincadeira, é desenvolver as habilidades socioemocionais das crianças. A partir dos 2 anos, a criança começa a demonstrar uma disponibilidade de brincar junto. É justamente nesta fase, até os 4 anos, que devemos estimular a habilidade de brincar sozinhas também.

Por mais que, eventualmente, a gente tenha tempo disponível e as crianças sejam prioridade, as tarefas da vida adulta exigem a nossa atenção e não podemos passar o dia todo brincando. Mesmo que pudéssemos, não é saudável para os pequenos. Durante o tempo de brincar sozinha, a criança consegue organizar suas ideias e aprende e lidar com suas próprias emoções.

Elas precisam de um tempo sem os adultos

Mas como fazer para incentivar a criança a brincar sozinha? Aí vão 5 dicas tiradas da nossa experiência prática e das dezenas de entrevistas que fizemos no Tempojunto com especialistas em desenvolvimento infantil.

1- Brinque com a criança antes de deixá-la sozinha

Sente com a criança e demonstre que ela importa. Deixe ela escolher uma brincadeira e a elogie por sua ideia. Demonstre interesse e faça perguntas que estimule a criança a ir além. Isso a deixará mais confiante para ficar brincando quando você precisar se afastar um pouco.

2- Prepare propostas de brincadeiras para estimular a criança.

Algumas crianças têm mais dificuldade do que outras para se distrair sozinhas. Se o seu filho precisar de incentivo, prepare um cantinho de atividades, reunindo materiais diferenciados que possam estimular a sua criatividade. Uma vez pronto o cantinho, observe o seu filho e estimule-o com palavras de incentivo para interagir com a proposta. Sem dar muitas orientações específicas. Deixe a criança com vontade de guiar a brincadeira.

3- Elogie a atividade feita pela criança enquanto brincava sozinha

Use palavras de incentivo como “olha que bacana o que você fez!” ou “fiquei muito feliz porque você conseguiu fazer isso” . Mas atenção: não faça um elogio genérico. Procure reparar o que a criança fez e demonstre interesse real no seu esforço. Ela precisa perceber que o tempo que ela levou fazendo uma determinada atividade foi relevante.

4- Aumente o tempo aos poucos

A criança pequena não está pronta para ficar realmente sozinha. Comece fazendo alguma coisa rápida, como responder um e-mail, algo que leve poucos minutos, sem deixar o ambiente em que a criança se encontra. Vá treinando esta situação e aumento o tempo aos poucos. Primeiro 5, depois 7, depois 10 minutos, até o ponto em que a criança dê conta.

Um estímulo para isso é separar algumas atividades especiais, que a criança goste, para serem feitas somente neste momento de brincar sozinho.

5- Sozinho não é abandonado

Como adiantei no item 4, não tenha a expectativa de que uma criança de 2 anos vai realmente conseguir ficar sozinha num determinado ambiente, sem a segurança de um adulto por perto. Procure fazer a atividade que demanda sua atenção no mesmo ambiente em que a criança estiver brincando.

Não sei se você já sabe, mas aqui tem brincadeira nova diariamente. Para você não perder nada, faça parte da nossa lista da Newsletter e receba um e-mail semanal com tudo que postamos no Tempojunto.

+ Seja o primeiro a comentar

Comente

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.