Corrida maluca de três pernas é uma brincadeira colaborativa super divertida


A brincadeira colaborativa tem um papel importante na relação das crianças entre si, como esta da Corrida Maluca de Três Pernas. Mas ela não é um substituto às brincadeiras competitivas. Ao contrário.

Particularmente (oi, aqui é a Patcamargo) eu não vejo nenhum problema com brincadeiras de competição. Elas são importantes justamente para mostrarmos às crianças os valores como respeito, consideração, e limites que fortalecem uma boa, honesta e justa brincadeira competitiva. Para mim, é irreal tentarmos tirar da vida das crianças aquilo que elas enfrentarão como adultas.

Inclusive, como dizem os especialistas que entrevistamos em sua unanimidade, a brincadeira é justamente o espaço em que as crianças testam os marcos do bom convívio em sociedade.

Braços entrelaçados

Agora, a brincadeira colaborativa tem seu papel também e muito importante. Ela traz um sentido de time, de equipe, de todos caminhando para um objetivo. Além disso, a brincadeira colaborativa tem um componente que eu gosto muito de trabalhar com as crianças, especialmente quando há diferenças de idade: a compaixão e a generosidade. Eu vou chegar nisso mais no final do post. Mas antes, bóra falar da Corrida Maluca de Três Pernas, que antes de qualquer coisa é uma brincadeira super legal, diferente e divertida para fazer com seus filhos, primos e amigos.

Você não precisa de material nenhum para brincar. Só seu corpo mesmo. É preciso três crianças para jogar. Podem ter tamanhos e idades diferentes, mas quanto maior a altura, mais complexo o desafio da brincadeira.

De costas, as crianças entrelaçam os braços. Você, então define uma caminho que eles terão que percorrer. Inclua obstáculos neste caminho, que podem ser naturais, como uma árvore, um degrau, você mesmo. Ou algo que você coloque no caminho, como um brinquedo, por exemplo.

O trio deve sair rapidamente para alcançar a linha de chegada, driblando os obstáculos, sem se separar. Olha aqui, meu filho e os amigos desviando do canteiro que existe na área livre de onde moramos.

Estratégias para superar barreiras

Os meninos precisaram criar estratégias para conseguirem caminhar juntos. Ora um “puxava” os outros; ora eles andavam girando em círculos, como nesta seqüência abaixo.

Foi muito divertido acompanhar o raciocínio deles, a colaboração, as trocas de liderança e as ideias que surgiam rapidamente (afinal, estavam correndo) para conseguir alcançar o objetivo.

Passar por mim, como obstáculo, dando a volta, foi particularmente difícil, mas eles acabaram tirando de letra. Eu fotografei por cima este momento.

Eles quiseram repetir mais uma duas vezes para testar outras formas de completar a Corrida Maluca de Três Pernas.

Compaixão é tentar minimizar as dificuldades do outro

No final, a brincadeira colaborativa, como eu disse antes, trabalha a compaixão, que muita gente relaciona com “dó” ou “piedade”. Mas não. Compaixão é compreensão do estado emocional de outra pessoa, junto com um desejo de aliviar ou minorar o sofrimento de outro. A compaixão é caracterizada por ações, quando uma pessoa, agindo com espírito de compaixão, busca ajudar aqueles pelos quais se compadece, sem invadir, no entanto, o seu espaço.

Em outras palavras, cada um tem suas capacidades e limites. E numa brincadeira colaborativa seu filho vai aprender a ter a generosidade de entender quando o amigo não conseguir completar o desafio da equipe. E em lugar de acusar, criticar ou ameaçar, ele irá ajudar, com a sua capacidade a minimizar o limite do outro. E se seu filho for o que tem mais limitações para completar a brincadeira, ele aprenderá a receber ajuda, sem se sentir constrangido. Afinal, todos precisamos de “uma força” em algum momento da vida para seguirmos, certo?

Eu gosto muito de gincanas e brincadeiras que as crianças podem fazer em grupo. Durante muitos anos trabalhei com os valores relacionados a brincadeiras competitivas e colaborativas. Vou trazer várias delas nestes posts para crianças maiores, ok? E para não perder nenhuma dica, faça parte da nossa Newsletter. Ela é gratuita, semanal, chega no seu email, com brincadeiras separadas por faixa etária, além das nossas novidades.

+ Seja o primeiro a comentar

Comente

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.