Quando começa a brincadeira de faz de conta?


Uma das habilidades que nós, pais e mães, deveríamos desenvolver depois que temos filhos é a capacidade de observar. Principalmente na primeira infância, período que vai da gestação aos 6 anos, as crianças são uma fábrica diária de novidades tanto do ponto de vista motor e cognitivo quanto do social e emocional. De repente, aquela pessoinha começa andar, falar e até “dar chiliques” e você fica com a impressão de que aquilo veio do nada. Já sentiu isso? Essa mesma observação deve ser aplicada ao momento de brincar. De repente, sem você esperar, começa a brincadeira de faz de conta.

Outro dia me dei conta que a Gabi tinha passado a olhar para os objetos e saber qual é a sua função. Antes, um objeto era uma coisa, não tinha significado. Na medida em que crescem, as crianças conseguem desenvolver a linguagem e demonstrar claramente que querem usar um determinado objeto para uma função específica. A partir de um ano a criança passa a fazer associações, sabe reconhecer palavras e nomes. Todo esse aprendizado vai se refletindo na evolução da maneira da criança brincar.

Como disse o psicólogo especializado em desenvolvimento infantil, Lino de Macedo, em uma entrevista para o Tempojunto, “a partir dos 2 anos, a brincadeira principal das crianças é o faz de conta. É uma fase interessante porque a criança imita o que vê dos adultos e repete quando brinca. Nesse período, os exemplos dos adultos e aquilo que a criança entende disso são reproduzidos e podem ser observados na brincadeira”.

O primeiro momento em que percebi claramente que a Gabi tinha mudado de fase foi quando ela pegou os utensílios de brincar com massinha e disse que ia fazer macarrão.

quando comeca a brincadeira de faz de conta - gabi com utensilio de massinha menor

Quando começa a brincadeira de faz de conta - gabi brincando com utensilio de massinha 2

Depois ela disse que estava com fome e que iria pegar as panelinhas para papar. E assim o “macarrão” foi parar na panelinha.

Quando começa a brincadeira de faz de conta - gabi fazendo macarrao de massinha

Quando começa a brincadeira de faz de conta - gabi colocando o macarrao na panelinha

Aos poucos aquele mar de utensílios de cozinha foi ganhando vida e ela, imitando os adultos, foi falando que ia fazer suco, pediu os talheres. Uma graça!

Quando começa a brincadeira de faz de conta - gabi com talheres

Até fingir que estava comendo, ela fingiu (antes que comentem, sim, temos que ficar de olho o tempo todo e não deixar a criança engolir objetos pequenos). Eu nem precisei falar que não era para comer. Ela sabia que era só faz de conta!

Quando começa a brincadeira de faz de conta - gabi fingindo que esta comendo

Diante desta brincadeira toda de fazer comidinha, percebi que posso oferecer novos estímulos para ela explorar ainda mais este desejo de imitação do universo adulto. Falar no telefone, por exemplo. Olha a Gabi “conversando” com o papai no interfone do prédio. Ela tira do gancho e fala “Alô, papai? É a Gabi. Um beijo, tchau!”

Quando começa a brincadeira de faz de conta - gabi falando no interfone

Seguindo esta linha, acabei comprando um kit baratinho de utensílios de banho para uma boneca. Foi um sucesso! Imediatamente ela se pôs a imitar a forma como eu cuido dela na hora de dar banho e de dar a mamadeira.

Quando começa a brincadeira de faz de conta - gabi dando banho na boneca

Quando começa a brincadeira de faz de conta - gabi dando mamadeira na boneca

Tanto na brincadeira de comidinha quanto do banho, eu aproveito para nomear objetos e partes do corpo, fazendo da brincadeira mais uma oportunidade de desenvolvimento de linguagem e habilidades sociais. Por exemplo “Você não vai levar um suco para a Carol, Gabi?”. Aí ela vai lá na irmã, pergunta se ela quer suco e depois volta e “prepara” um copo para a irmã. As duas brincam e usam as expressões “Por favor” e “obrigada” o tempo todo. Daí que, quando a Gabi vai comigo no restaurante, ela mesma pergunta se alguém quer o suco ou a fruta dela. E ainda fala “obrigada” para o garçom quando a comida dela chega.

E assim a gente aproveita os momentos de brincar para observar o desenvolvimento dos filhos e educar ao mesmo tempo!

Para quem se interessar em saber um pouco mais sobre a entrada da criança nos jogos simbólicos, dá uma lida na matéria “Brincadeira de faz de conta: quando as crianças entram nesta fase”. 

Se você gostou deste post, aproveite para se inscrever na nossa lista de email. Você vai receber toda semana nossa newsletter com tudo, tudo que publicamos aqui no blog e ainda algumas informações exclusivas!

+ Seja o primeiro a comentar

Comente

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.