Livro brincante – Maya, a menina que amava coleções de Marcelo Jucá


O escritor Marcelo Jucá estreou na vida literária de uma forma inovadora. Seu livro, A Coleção de Maya, foi concebido e editado na forma de e-book. Mas a história não tem nada de virtual. Ao contrário, fala de algo muito real e que por si já é um convite para o tempojunto entre pais e filhos: coleções.

CAPA-MAYA-FINAL

Disponível na iBook Store, GooglePlay e Kobo Books, a história começa com a menina Maya decidida a começar sua coleção, depois de uma intrigante aula na escola. O professor havia falado sobre a importância de colecionar entre as mais diversas culturas. E o livro passa pelas descobertas, dúvidas e certezas da menina até encontrar qual seria sua coleção.

Antes de tudo, Marcelo contou como foi o caminho do jornalista que decidiu escrever para crianças. Veja só

Para Jucá escrever diretamente no ambiente digital não tem diferença do trabalho para o impresso porque a “história é história em qualquer meio“, ele afirma. Da mesma forma, o escritor não vê o livro digital como uma ameaça aos volumes impressos. Na verdade, ele não entende porque há tanto empenho numa discussão dessas.

“Tablets permitem interação direta com os elementos de texto e ilustrativos. Criança lê digital e acredito que cada vez mais este acesso será mais fácil e esta será um novo caminho de incentivo à leitura. E agora as editoras também estão vendo o meio digital como forma de negócio”, explica Marcelo Jucá.

 

O pai da Maya

A menina Maya que deu seu nome à personagem de Marcelo tem, na verdade, 1 ano e 8 messes e é a primeira filha do autor. O dia a dia dos dois é repleto de brincadeiras e cantorias. Veja só que depoimento mais legal sobre estar presente na vida dos filhos de forma tão brincante

“Concordo que o livro para criança precisa ser bem humorado”, explica Marcelo. Ele acredita nisso mesmo para livros que tratem de temas mais complexos como a morte. No trecho abaixo , o autor fala do humor que permeia A Coleção de Maia.

homeCred-640x300

Colecionar é uma brincadeira que pode se transformar num hobbie que acompanha a pessoa pela vida toda. Além de ser muito divertido, a atividade desenvolve a responsabilidade e a capacidade de negociação das crianças. Marcelo colecionava dinossauros. Uma das crianças colecionava tatuzinhos-bola. E você? Qual foi a coleção que você fez quando era criança?

Se você gostou desse post e não quer perder nenhuma novidade do Tempojunto, faça parte do nosso grupo da newsletter. É gratuito e você recebe nossas atualizações semanalmente em seu e-mail.

1 comment

Comente

+ Leave a Comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.