Formas diferentes de brincar com livros e representar as histórias


Somos suuper fãs de livros aqui no Tempojunto. A leitura é uma das atividades mais completas, do ponto de vista cognitivo, para as crianças. E isto desde o nascimento. Mesmo que não compreendam palavras, os bebês começam a perceber sons das palavras. Além disso, ao brincar com livros, você apresenta a seus filhos diferenças de som e entonação de voz, para significar emoções diferentes. As expressões faciais também fazem parte deste “pacote” de aprendizado nesta fase do bebê.

Mais adiante, as crianças pequenas passam a compreender as palavras e relacioná-las com as figuras que estão vendo no livro. Com o hábito da leitura, não seria de se espantar ver seus filhos como os meus (que me encheu de orgulho! Fofos!) lendo ou relacionando figuras, num momento que poderiam estar vendo televisão.

Novas formas de “ler” um livro

Se você buscar por “Leitura Brincante” aqui no site vai encontrar uma série de entrevistas de autores de livros infantis que fazem um trabalho incrível no cenário editorial para crianças que falam sobre a relação da leitura e da brincadeira. Também, buscando por “contar histórias”, você verá várias dicas para fazer da hora da história uma brincadeira diferente a cada dia.

Por isso, hoje eu resolvi falar de outra forma de brincar com livros: explorando jeitos de representar as histórias contadas de outras maneiras. Eu me inspirei aqui na Mostra Literária da escola dos meus filhos. Mas todas as sugestões podem ser feitas em casa também, sem o menor problema. Olhe, por exemplo, este teatro de sombras que fiz a partir do livro do Grúfalo.

O palco, a Patricia Marinho ensina a fazer neste vídeo aqui:

Mas os personagens podem sair de qualquer livro que seus filhos gostem.

Uma caixinha de bom parecer

Tem um poema-charada que diz assim: “uma caixinha de bom parecer, não há carpinteiro que saiba fazer”. Que tal, então, aproveitar uma caixa de sapatos ou outra qualquer e criar dentro dela um cenário que represente uma cena do livro, ou, quem sabe o contexto geral da história que estão lendo. Vocês podem usar os materiais que estiverem disponíveis para criar. Pode ser rolo de papel higiênico, canetinha, tintas e pincéis, massinha, blocos de montar, papéis diferentes, sucata, folhas e tantas outras coisas que vocês encontrarem.

Vejam alguns exemplos de caixinhas de histórias que eu gostei bastante. Depois de prontos, podem até ficar numa exposição para a família, com um jogo de adivinhar de qual livro pertence qual caixinha.

Não ficaram super bacanas?

A foto do cercadinho

E o que você acha de propor para seu filho fazer com você um desenho daquilo que ele mais gostou no livro. Mas para não ficar só no desenho, que tal recortar, criar um fundo de retalhos de papel coloridos e tirar uma foto para se tornar uma capa alternativa para o livro?

Esta foto aqui embaixo, que o Pocoyo colocou em um cercado aquilo que ele mais gostava, já que o livro falava sobre coisas que guardamos em nosso coração. Ahwwnnn!

Ainda nesta linha de aproveitar os livros para falar de sentimentos, olha que bacana a ideia para crianças mais velhas de colocar os sentimentos que a leitura do livro despertou dentro de uma garrafinha.

Se não tiver fácil uma garrafinha, você pode usar uma caixa, ou só escrever em papéis coloridos e enrolar, prendendo com fita. Vocês podem combinar de cada um que ler o livro (ou escutar a história) faz um rolinho de papel. Depois de, digamos 6 meses, haverá muitos rolinhos. Cada um pode, então, ler os rolinhos dos outros para ver quem teve os mesmos sentimentos ou pensamentos sobre o livro.

Misturando tudo

Que tal pegar dois ou três livros e misturar seus personagens para ver que história é possível criar? Desenhe os personagens dos livros e recorte-os. Misture tudo dentro de uma caixa ou sacola. Comecem a tirar um a um os personagens e tentem criar um novo conto, aproveitando tudo o que leram sobre eles. Inventem, sejam criativos e não precisem se preocupar em sair uma história certinha. A ideia aqui é deixar a imaginação rolar, sem compromisso.

Se você gostou deste post e não quer perder nossas próximas sugestões, cadastre-se na nossa lista para receber a nossa newsletter semanal por email. É grátis.

+ Não existem comentários

Deixe sua opinião