Dicas para você ter um ano novo brincante


By patcamargo Oi! Aqui estou eu em uma véspera de grandes celebrações (fui abençoada este ano na minha coluna 😉 ). Alguns mais céticos podem dizer que não há diferença nenhuma prática na nossa vida ao dormir no dia 31 de dezembro e acordar no dia 1 de janeiro. Mas eu discordo. Tem uma mágica que acontece na virada do ano inexplicável. A esperança de fazer melhor, mesmo que o ano anterior tenha sido muito bom, enche o coração. Parece piegas, mas é assim que eu me sinto. Mesmo fisicamente cansada com a correria tradicional do fim do ano, meu espírito fica pronto para um ano inteiro que vem pela frente. Estas dicas aqui você pode fazer como “superstição”, daquelas para ter um ano novo brincante.

Naturalmente a gente acaba fazendo um balanço do que aconteceu e desenha planos do que quer fazer no ano que começa. E as crianças podem fazer parte destes momentos de formas super brincantes! Aqui em casa nós temos um cofre das coisas boas e importantes. Ele tem este formato de coração. Caixa coração Durante o ano, toda vez que acontece alguma coisa legal – um encontro de amigos, uma conquista dos meus filhos, uma viagem ou passeio em família – nós anotamos e colocamos no cofre. Neste ano, as crianças já representam suas coisas felizes com desenhos. No dia 31 sentamos juntos e abrimos o coração, revendo tudo que aconteceu com a gente. É uma delícia. Muitas risadas, emoções, as crianças lembram de tudo, falam sobre tudo (incrível como eles lembram de detalhes que eu nem me dei conta). E eu e o maridão fazemos nosso balanço familiar.

Listas em famílias

A Amanda (que vocês ainda não conhecem, mas é a super responsável por todo visual do Tempojunto) também tem uma tradição muito legal na família dela. Mas é legal ela mesma contar. Fala aí, Amanda!

Todo ano minha família faz uma lista de presentes pro ano seguinte. Mas não são presentes comuns! Em 2006, minha mãe, Valéria, trouxe a ideia de que cada membro da nossa família (meus pais, eu e minhas duas irmãs, Clara e Duda) teria que pedir algo que exigisse do outro uma melhora como pessoa. Uma gentileza ou mudança de um hábito. Então, por exemplo: em 2007, papai e mamãe me pediram pra melhorar a arrumação no meu quarto e procurar ser mais sociável (sou mais introvertida hehe): Melhoras amanda E foi nisso que foquei em 2008. Nessa mesma lista, nós, como família, tínhamos que traçar uma meta do que fazer em conjunto. Naquele ano, por exemplo, foi jogar jogos. Em um outro, mais generosidade!

Você pode começar essa tradição de listas também! Basta organizar em uma noite (dia 30 ou 31) o que cada um deseja do outro no ano seguinte, depois digitar e imprimir uma folha pra cada um.

Eu acho incrível essa ideia e pretendo levar pra minha futura família. É não apenas uma forma de crescermos juntos, como família, mas também de melhorarmos o diálogo e de reconhecermos que devemos sempre buscar sermos a merlhor versão de nós mesmos. O mais legal é chegar no ano seguinte e observar quanta coisa a gente conseguiu mudar. Eu, por exemplo, já sou extremamente organizada no meu quarto e agora saio sempre com as minhas amigas (-: Listas

Brincar de gente grande

Quer outras duas sugestões para a virada do ano? Vamos brincar de ser gente grande? Que criança, mesmo as mais pequenas, não querem experimentar o vestido da mamãe, ou “trabalhar” como o papai? Deixe então a imaginação deles solta e peça que eles representem como eles serão quando adultos. Vale “fuçar” no guarda-roupa da mamãe ou do papai, usar acessórios e fazer representações. Aqui em casa, o Pocoyo, que já tem 5 anos, decidiu que vai ser escritor, ter filhos, mas primeiro morar com os amigos e depois casar. Já tem pretendente e tudo. Ah! E mais para frente, depois que ele morrer, ele quer ir para o Paraíso na forma de um Godzilla. Já a Potchochenca, com quase três anos, gosta de se enfeitar, “trabalha” no computador, como a mamãe, e não perde a oportunidade de usar meus sapatos. E a do meio, com três anos, vai cuidar das filhas e ser princesa. Ela tem até uma casa imaginária e tudo que ela gosta existe nesta casa (tem muitos DVDs de filmes, tem uva verde todo dia, tem sol e piscina). Na casa dela tem até outros parentes!

O que eu faria

Para quem tem filhos mais velhos, na idade mais ou menos da Carol, a filha da Patricia Marinho, uma brincadeira divertida é “o que eu faria se…“. Imagine uma situação muito maluca e todos precisam responder o que fariam se, por exemplo, a noite virasse dia. Ou se eu acordasse com bigode. Se for feita com as regras desta brincadeira de perguntas e respostas que a Pat Marinho sugeriu, fica mais engraçada ainda!

Espero que seu 2014 tenha sido como ele deveria ter sido. E que você possa ter esta mesma esperança que eu tenho que o ano seguinte será sempre melhor. Desejo um 2015 cheio de tempos-juntos entre vocês, um ano novo brincante e que possam olhar para trás e perceber que valeu! Pra mim, valeu muito estar na companhia de vocês nestes meses!

BJOOO

PS.:  Se você gostou e não quer perder nenhuma novidade do Tempojunto no próximo ano, faça parte do nosso grupo da newsletter. É gratuito e você recebe nossas atualizações semanalmente em seu e-mail.

+ Seja o primeiro a comentar

Comente

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.