Pai @tempojunto: o olhar de Alexandre de Mayor sobre o brincar


Eu fiquei muito contente quando recebi este depoimento hiper carinhoso do meu amigo Alexandre. Quem segue o blog há mais tempo já o viu brincando com o filho Eduardo, o Dudu. O Alexandre tem uma relação  muito linda com a brincadeira. Olha só que máximo.

 

Olá … eu sou um pai @tempojunto. Confesso que sou um pai babão!

um pai tempojunto - alexandre e dudu no estadio

O meu filho Dudu foi uma criança muito aguardada e não canso de lhe dizer que ele é muito mais do que eu havia um dia sonhado. Nunca imaginei que sentiria um amor tão grande por alguém. Isso sim é felicidade. Você pensa como eu? Uma jóia preciosa pode ser bela, cara ou ter um significado particular …talvez te traga algumas lembranças. É sobre isso que gostaria de conversar com você: como a minha jóia brilha dentro de mim, ou melhor, a minha motivação de escrever para a minha amiga Patrícia Marinho e para você, foi de apresentar um “outro olhar” sobre a criança e as brincadeiras.

É incontestável que brincar é fundamental para estimular o desenvolvimento neuropsicomotor da criança, mas você, pai (ou mãe), já parou para pensar o quanto esse momento também é importante para você ?

Acompanhe comigo esse raciocínio. Segundo dados da OMS (Organização Mundial da Saúde), o número de pessoas com 100 anos de idade ou mais aumentará, mundialmente, 15 vezes até 2050. Eu e você, certamente, estaremos contribuindo para elevar o percentual de idosos brasileiros até lá. Levando em consideração que “ser criança” é um momento bem pequeno em comparação ao tempo “adulto” em nossas vidas, considere o quanto esse “curto período” de sua vida representou para o que você se tornou hoje. Reviver isso na sua relação com seu filho é trazer de volta todas as experiências que constituem a base estrutural do que você é hoje.

Já havia pensado nisso ? Afinal de contas, você já teve o seu momento de ser criança e o seu percurso de vida continuou. Nesse momento, você está apenas ocupando um outro lugar do caminho que você traçou e, por isso, está em outra sintonia. Mas a criança que você foi um dia ainda continua dentro de você. Talvez esquecida.

um pai tempojunto - alexandre descendo o monte

Algumas brincadeiras estimulam o raciocínio, enquanto outras revelam comportamentos. Muitas permitem o contato físico e, quem sabe, fazem aflorar emoções. Perceba que o brincar é o ponto de partida para o que viveremos, de modo ampliado, na idade adulta. Parece complexo ? Não complique, deixe a sua imaginação livre.

Agora, vê se você não concorda comigo: o que pode ser mais rico do que acompanhar o processo de crescimento de uma criança? Por isso, quando estou com ele …não perco a oportunidade de brincar. Passar por um túnel pode ser um desafio incrível, mas se você está do outro lado deste túnel, quem sabe, um abraço dê a qualidade que faltava à brincadeira.

Eu tive uma infância muito rica (em experiências). Corri muito descalço, tomei muito banho de chuva, gostava de subir em árvores e uma bola de futebol era o meu presente de aniversário favorito. Sempre tinha um Band-Aid grudado no meu corpo. A proteção já caiu há muito tempo, mas algumas marcas ficaram para me lembrar daquelas aventuras mais ousadas. Aprendi com meus pais a fazer alguns brinquedos (pipa, bola de meia e explorar bastante a minha criatividade).

Quando o meu filho me pergunta o que fazia quando era criança … é um momento de muita felicidade fuçar o meu baú de lembranças. O @tempojunto publicou alguns videos de “brincadeiras com as mãos” que eu fazia quando criança e que continuo fazendo com o meu melhor amigo Dudu.

Brinque com seus filhos agora, para que você possa envelhecer com mais saúde física e mental. Lembre que um dia ele será pai (ou mãe) como nós. Sendo assim, além das experiências boas que você o ajudará a construir, não se esqueça de que você viverá por mais tempo do que aqueles anos estimados pela OMS. Você viverá por uma eternidade na vida de seus filhos, pois você será parte do que ele é !

Gostou do nosso post de hoje? Aqui no blog, todos os dias tem sugestões para você e seus filhos. Não perca! E se você se inscrever na nossa Newsletter, estas dicas chegarão gratuitamente no seu e-mail. É só clicar aqui.

*Alexandre de Mayor é pai do Dudu. No tempo que resta, é Fisioterapeuta e Educador Físico, Coordena a KINÉ – Clínica de Fisioterapia e Centro de Formação. É membro da Associação Internacional de Professores do Método de Cadeias Musculares e Articulares GDS, especialista em terapia intensiva, e em envelhecimento populacional e saúde da pessoa idosa pela Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP-Fiocruz).

+ Seja o primeiro a comentar

Comente

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.