Brincadeira de menino para meninos e de meninas para meninas


Colocar este tema num domingo de brincadeira de estímulos foi muito interessante pra mim. Para quem não acompanha o blog, eu sou a Patcamargo e, além da coluna todas as quartas-feiras, eu escrevo aos domingos. Tenho três filhos, duas meninas e um menino e isto me dá um pouco mais de liberdade para falar sobre este assunto a partir também do que observo no meu dia a dia.

O assunto surgiu aqui no Tempojunto a partir do comentário da Michele di Benedetto lá no Facebook em março deste ano. Ela sugeriu fazermos esta pauta. “Cansada demais de ver a minha pequena sem companhia na piscina ou no play porque as panelinhas são rosa!!!! Agora ela desce com espadas de pirata pra ter companhia! Rssssss conscientização é um ótimo caminho! Quem sabe algum dia vejamos mudanças reais!” Nós também.

Brincadeira de menino para meninos e de meninas para meninas - larissa brincando com carrinho

O site Disney Babble publicou um texto sobre o assunto e que achei claro, objetivo e como concordo com o que está ali, deixo o link para não repetir aqui tudo o que já foi dito. Outro post que vale a leitura é este da Diiirce. Tem até dicas sobre como agir nas mais diversas situações.

Também aproveitei as entrevistas que faço com especialistas em desenvolvimento infantil (que publicamos no primeiro sábado de cada mês) para saber mais sobre o assunto.

O resumo de tudo que ouvi é simples e tem dois pontos principais:

1. Crianças não nascem querendo brincar de casinha ou de bola porque são meninas ou meninos. Esta preferência se adquire socialmente, a partir dos modelos que elas passam a imitar ou do que escutam dos mais velhos.

Eu, por exemplo, quando era criança, queria brincar de escritório e de banco, porque esta era a referência que tinha da minha mãe.

Brincadeira de menino para meninos e de meninas para meninas - menina com bola

2. Uma brincadeira não define a sexualidade no futuro. Este tema tem muitos outros fatores mais relevantes que um menino brincar com bonecas ou uma menina com um trenzinho.

Hoje há até uma frase corrente nas redes sociais que diz que um menino brincando com bonecas se tronará… um bom pai. Não é?

Brincadeira de menino para meninos e de meninas para meninas - henrique brincando de casinha

Costumo dizer que meninas que brincam de carrinho ou brincadeiras mais ativas não são “molecas”, são meninas brincando. Ponto. Prá quê sempre precisamos de um adjetivo para justificar alguma coisa?

 

Brincadeira de menino para meninos e de meninas para meninas - menino com bichinhos

Brincar universal e sem gênero

A coordenadora do Instituto Alana, Ana Cláudia Leite explica como podem acontecer algumas diferenças na preferência por um ou outro tipo de brincadeira.

Outro aspecto fundamental é que o mundo das brincadeiras não se resumem a carrinhos, bolas, bonecas e jogos de panelinhas. Grande parte das brincadeiras não tem gênero algum definido e crianças brincam com muitos materiais chamados não estruturados, como panos, caixas de papelão, cordas, tintas.

Brincadeira de menino para meninos e de meninas para meninas - pintando no vidro cópia

Então, este domingo de estímulo é na verdade um post para que a gente evite desestimular algo que possa vir naturalmente e ir naturalmente também. Em casa, meus filhos brincam livremente de casinha, papai e filhinhos, carrinhos, piratas e monstros juntos. E rosa e vermelho ou azul e verde não são cores exclusivas de um ou outro filho.

Aqui tem outros dois posts que falam sobre este assunto:

Brasil Escola

Crescer

Pesquisa científica Scielo

Folha de S.Paulo

Mulher Uol

Delas

Todos os dias tem post novo aqui no blog. Mas se você preferir, pode receber todas as novidades por e-mail. É só inscrever-se na nossa newsletter gratuitamente.

6 Comments

Comente
    • 2
      Patrícia Marinho

      Viu só? O post já estava programado. Você fez o comentário no momento certo rsrsrsrsrs!
      Obrigada pela participação por aqui.
      beijos
      Patrícia

  1. 3
    Milene

    Que honra ser mencionada aqui!!!! E acho que devemos até conversar com as crianças para saber o que elas pensam sobre essa distinção de gênero nas brincadeiras, quais as consequências de se brincar de tal coisa. É incrível o banho de sociologia que eles podem nos dar. 😉
    Bjs
    Mi @diiirce

  2. 5
    thaísa mendes

    eu também brincava com papéis e notebook de brinquedo imitando a minha mãe e fingia que estava consertando eletrônicos imitando o meu pai! isso não afetou em nada minha sexualidade nem nada. amei o texto e o site, parabéns! <3

+ Leave a Comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.