5 dicas que facilitam o momento de brincar com seus filhos


Nas primeiras quintas-feiras do mês é o momento do nosso bate papo. Um espaço para darmos um tempo nas dicas de brincadeiras e conversarmos sobre o brincar. Hoje o assunto é como a gente consegue estabelecer uma conexão com nossos filhos durante a brincadeira.

Este texto foi originalmente escrito para o blog Saúde Infantil, do Hospital Infantil Sabará, de São Paulo.

Não sei se isso também acontece com você, mas eu (a Patricia Marinho) achava que sabia brincar com crianças até ganhar meus sobrinhos, e posteriormente minhas filhas, e ver que o meu conceito de brincar com crianças estava meio equivocado.

Brincar com os filhos não é simplesmente sentar e dar uma olhada enquanto eles estão ali com seus brinquedos, mas sim estabelecer conexão através das brincadeiras, mesmo que você tenha pouco tempo para isso.

O meu primeiro equívoco estava justamente em achar que eu só podia brincar quando tivesse muito tempo e cercada de brinquedos. No dia a dia, devo confessar, o tempo de brincar acabava perdendo espaço para outros “tempos” da vida, especialmente o de trabalhar, e a brincadeira ficava para depois, vencida pelo cansaço.

Minha vida mudou quando comecei a perceber que todo momento junto com os filhos poderia ser um momento de brincar, desde que estivesse preparada para isso. Quer alguns exemplos? O passeio a pé até a padaria vira uma farra se estiver acompanhada da brincadeira de “Não pise na linha!” ou “Só vale pisar no preto!”.

brincadeira_maos

O tempo de espera no médico fica animado com brincadeiras com as mãos, como Adoleta, Bate-mão ou Guerra de Dedos. Até o engarrafamento fica mais suportável se a gente aproveita para fazer uma brincadeira de busca, que pode ser a cores (Quem vê algo vermelho? E algo amarelo?), a formas geométricas (aonde tem um triângulo? E um círculo) ou a letras (quem consegue olhar para fora e ver alguma coisa que começa com a letra A? E a letra B?). Quando a gente consegue incorporar a brincadeira no cotidiano, em lugar de esperar a hora de brincar, tudo fica mais fácil.

Um outro olhar para o brincar

Só que lidar com o fato de ter que encontrar tempo é apenas um lado da questão saber brincar. A maternidade também me ensinou a rever minhas atitudes e ter um outro olhar para a importância do brincar. Quando a criança brinca, ela não está “fazendo nada”. Ela está descobrindo e desenvolvendo todas as suas habilidades motoras, emocionais e cognitivas.

Mais 7 brincadeiras para irmãos de idades diferentes_brincadeira caseira argolas

E quando a gente brinca junto, não só ajudamos a estimular este desenvolvimento, como estabelecemos conexão. Como disse a psicóloga Patricia Garcia em uma entrevista ao Tempojunto, “Com a brincadeira, os pais têm em mãos uma chave preciosa para conhecer ainda melhor os filhos e ajudá-los no seu desenvolvimento.”

Para conseguir estabelecer esta conexão, precisamos saber dar qualidade ao tempo junto e brincar como se deve. Isso é outro aprendizado. Aí vão 5 dicas, nem sempre fáceis de seguir, para conseguir brincar com qualidade, mesmo que por 10 minutos:

Desligue o celular e foque no momento.

Desça ao nível da criança. Sente-se no chão. Olhe a criança de frente, e não de cima.

Deixe a criança escolher e liderar a brincadeira. Só assim você vai conseguir aprender com ela.

Não tenha um objetivo claro. A medida do sucesso da brincadeira não é ter chegado a um resultado concreto, mas sim ter aproveitado o percurso.

Se permita imaginar, se sujar e pagar mico. As risadas dos filhos vão compensar o trabalho de limpar depois.

Sabara_brincar com qualidade

Tem alguma dúvida? Quer bater um papo conosco? Então escreve nos comentários sobre o que você gostaria de conversar e a gente bate um papo por aqui. E semanalmente você pode receber em seu e-mail todas as novidades do Tempojunto. Basta inscrever-se gratuitamente aqui.

10 Comments

Comente
  1. 7
    Graça Barros

    Gosto muito do tempojunto, onde sempre busco ideias para brincar com meus netos: Miguel de três anos e meio e Elisa de 10 meses. Moramos em uma cidade pequena e sempre brincamos na pracinha. Outro dia o Miguel me mostrou uma arvore dizendo: ” olha vovó que arvore grande”. Daí surgiu a brincadeira de abraçar as arvores. ” Essa você não consegue abraçar toda porque o tronco é grosso.” Essa sobra abraço porque o tronco é fino.” E assim de arvore em arvore trabalhamos vários conceitos como alta, baixa, fino ,grosso, nova , velha, etc. Foi ótimo pois ele gostou muito. Quis passar para vocês a ideia,pois está dentro do assunto acima. Sempre brinco com eles quando estamos juntos, pois fui professora primaria e trabalhei muitos anos com alfabetização.

    • 8
      Patrícia Marinho

      Oi Graça!
      Que maravilha de comentário. Adorei sua ideia. Obrigada. Vou fazer e indicar.
      Beijos, Patrícia

  2. 9
    SILMARA GREGORIO

    Adorei essas matérias sobre brincadeiras. ..me dêem notícias. ..sou avô de dois netos de 2 anos e também sou Psicopedagoga. ..VOU adorar interagir com vocês. .GRATA Silmara. …

+ Leave a Comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.