Como a música brincante ajuda no desenvolvimento do seu filho


Durante dois anos e meio eu (a Patcamargo) e a Patricia Marinho fomos colunistas do blog do Instituto de Pesquisa do Hospital Infantil Sabará, em São Paulo. Nestes posts escrevíamos sobre os mais diversos aspectos da brincadeira, e como ela contribuía para a formação de vínculo e o desenvolvimento das crianças.

E agora trazemos estes textos para você também, que nos acompanha aqui no blog e nas redes do Tempojunto. Desta vez, falamos sobre a música brincante e como ela ajuda, sendo pate de uma brincadeira, inclusive para crianças que estejam doentes ou hospitalizadas.

É claro que a última coisa que eu desejo é que o seu filho ou o meu filho tenham que passar uma “temporada” no hospital. Mas quando a gente escreve sobre brincadeiras num blog como este, acaba pensando em como ajudar os pais cujos filhos estão hospitalizados a terem o melhor tempo junto, com o tempo disponível e as brincadeiras possíveis.

Já escrevi antes dicas de brincadeiras que são simples de serem feitas num hospital e ainda assim, são muito divertidas e estimulantes para as crianças e sua família. Hoje vim falar da música. A música que funciona como brincadeira e que serve para qualquer idade, desde o recém-nascido, e qualquer situação em que seu filho se encontre.

Os benefícios

A audição é o primeiro sentido que se forma na gestação. O som faz parte do desenvolvimento cognitivo desde antes de nascer. E essa habilidade do ser humano vai sendo aperfeiçoada ao longo dos anos, por meio da música.

Outra informação relevante é que quando a criança tem contato com a música, seja ouvindo ou interagindo mais ativamente com esse universo, ela pode desenvolver algumas características próprias com mais facilidade, como fala, dicção e coordenação motora, entre outras.

A brincadeira com a música pode seguir vários caminhos. Olhe estes exemplos:

1- Escutar uma música que você cante. Esqueça se seu canto é afinado ou não. A questão aqui é outra. Seu filho ouvir sua voz cantando é importantíssimo para a formação do vínculo e a sensação de aconchego e segurança. Um dia pode ser uma música suave, no outro uma mais divertida.

2- Cantar junto com você. Que tal, combinarem de aprender uma cantiga nova na semana? Há inúmeras cantigas de roda que você pode pesquisar, além de músicas simples, fáceis de aprender. No blog do Tempojunto há várias delas (link: http://www.tempojunto.com/?s=m%C3%BAsica)

3- Inventar gestos para acompanhar as músicas. Estas mesmas cantigas da dica anterior têm letras que remetem a inúmeras possibilidades de gestos que as acompanham. Alguns são bem conhecidos até, mas o mais divertido é inventarem seus próprios sinais para cada música. Outra forma bacana é criar sons a partir de batidas na mão, no peito, com os pés que acompanhem o ritmo da música.

4- Usar instrumentos caseiros para acompanhar a música. Um violão de elásticos e caixa de sapato, um sopro com palitos de picolé, uma maraca de garrafa plástica e grãos são todos exemplos de instrumentos fáceis de confeccionar com materiais disponíveis em casa. Que tal organizarem uma banda?

5- Brincar de qual é a música. Eternizado pelo apresentador Silvio Santos, esta brincadeira é sucesso garantido. Definam os nomes das músicas previamente e comecem a brincadeira. Primeiro tentando identificar a música só pela melodia, depois pela primeira estrofe e assim por diante.

Como-a-música-pode-ser-brincante

A música transformada em brincadeira tem vários benefícios, além da própria diversão:

Coordenação motora

Você pode até achar um exagero, mas só o fato de a criança conseguir segurar um instrumento sozinha já é uma forma de ela desenvolver e exercitar a motricidade fina.

Foco

No momento em que uma criança está participando de uma atividade, precisa de atenção para conseguir cumprir o que foi proposto.

Contato com outras culturas

A música é universal e pode ser expressada de diferentes formas, dependendo da cultura onde está inserida. Essa proximidade é benéfica para as crianças, pois possibilita que elas tenham contato com o folclore e costumes de outros povos.

Criatividade

Inventar uma letra nova para uma música conhecida é um tremendo exercício criativo.

Memória

Alguns elementos presentes na música como timbre, tempo e tom, ajudam no desenvolvimento da memória.

Desenvolvimento da linguagem

Quando uma criança ouve ou canta uma música, ela vai armazenando palavras ao seu domínio. Mesmo quem não está alfabetizado vai adquirindo, ao longo do aprendizado, elementos que serão úteis para a formação das frases. A dicção também é um aspecto que pode ser aprimorado por meio da música.

Uma vez por mês, publicamos no blog um texto originalmente postado no Hospital Sabará. Tenho certeza que você vai querer me acompanhar por aqui. Então, faça parte do grupo que recebe a Newsletter Tempojunto por e-mail e fica por dentro de todas as novidades das nossas redes, num só canal.

+ Seja o primeiro a comentar

Comente

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.