Coordenação motora e inventividade do bebê na mesma brincadeira


Eu acho fascinante a capacidade de criação e inventividade dos bebês quando deixamos que eles conduzam a brincadeira que estamos propondo a eles. Vou dar um exemplo disso com uma brincadeira que envolveu coordenação motora e inventividade do bebê, justamente porque ele resolveu fazer alguma coisa diferente do proposto. E foi ótimo!

Aliás, a ciência que estuda o desenvolvimento infantil já comprovou que o bebê é um descobridor por natureza, um curioso ávido por experimentar o mundo ao seu redor. E esta característica é que faz com que ele queira testar novas formas de lidar com uma mesma brincadeira. E se deixarmos que esta curiosidade aflore, permitindo exploração estamos contribuindo para que nossos filhos sejam crianças que gostem de aprender e estudar no futuro.

Começo com bolinha de papel

A brincadeira que eu propus para a Yuyu, na época com 18 meses, foi amassar bolinhas de papel (coordenação motora fina) e jogá-las num grande lençol que eu armei no parquinho (foco, direção, coordenação de braço e mão). Para brincar também, você vai precisar de:

Pedaços de papel

Um cesto ou bacia grande. Ou, no meu caso, um lençol para virar uma espécie de rede.

Eu expliquei para a Tiemi, a mãe da Yukari, que a brincadeira era dar o papel para a filha amassar e depois mostrar que ela poderia colocar as bolinhas de papel na rede. E assim, começamos a brincar.

Foi quando então, a Yukari resolveu que queria tirar as bolinhas da rede em lugar de colocar. Tudo bem! Não faz mal se ela resolveu mudar a brincadeira. É nesta hora que eu me referi antes: podemos deixar que o bebê lidere a brincadeira e teste seus experimentos. Inexiste certo ou errado.

Mais uma reviravolta na brincadeira

Depois de brincar um tempo conosco tirando e colocando bolinhas na rede, surgiu mais uma mudança na brincadeira. “E se eu entrasse nesta rede?” – provavelmente foi o pensamento da Yuyu. Porque ela resolveu que iria entrar no lençol e brincar com as bolinhas lá dentro. Tudo bem também! O único cuidado que tivemos foi baixar o lençol até o chão, porque certamente a “rede” improvisada para bolinhas de papel não sustentaria o peso do bebê.

Olha que delícia que ficou!

Ou seja, uma brincadeira que eu tinha planejado para trabalharmos coordenação, virou muito mais, envolveu imaginação, inventividade. Isso, sem contar que o objetivo principal é sempre a simples e pura diversão da brincadeira!

A cada 15 dias, a gente fala aqui no Tempojunto sobre brincadeiras com bebês. Se você não quer perder nada, faça parte da nossa Newsletter. A inscrição é gratuita e você recebe semanalmente um e-mail com todas as nossas novidades e posts publicados!

+ Seja o primeiro a comentar

Comente

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.