Brincadeiras para lembrar os personagens do folclore brasileiro


Gosto muito de mitologia e folclore. Do Brasil e de outros países. Por isso, escrever no Dia do Folclore é muito legal porque me fez trazer para meus filhos jeitos diferentes de conhecer e experenciar os personagens do folclore brasileiro. Então, fica a dica de algumas brincadeiras que podem ser a base para você contar a seus filhos estas histórias tão ricas do Brasil.

Eu comecei falando de histórias e esta é a primeira dica de brincadeira. Pesquisar em livros ou mesmo em bons sites na internet os contos relacionados ao nosso folclore e preparar uma noite especial de contação de histórias para as crianças.

Este livro aqui, Mitos – o Folclore do Mestre André, é uma boa sugestão, que a escola do meu filho indicou ano passado. Mas você pode buscar outros tantos que existem no mercado.

Saci, boitatá e curupira

Para começar, separei alguns personagens para ajudar na sua busca. Os mais populares são o Saci-Pererê, a Mula-Sem-Cabeça, o Curupira, a Iara, o Lobisomem e o Boitatá.

Mas há muitos outros, como o Negrinho do Pastoreio, a Cuca, o Boto, o Jurupari e a Caipora, por exemplo. O legal de contar histórias destas lendas é preparar o clima. Que tal, baixar um pouco a luz, usar sons de mata (tem aplicativos para celular com váários efeitos sonoros), criar vozes diferentes?

Se seus filhos são pequenos, conte as histórias de um jeito mais leve e escolha os personagens mais engraçados ou aventureiros, como o Saci, o Curupira, a Caipora. Já as crianças um pouco maiores vão gostar dos contos da Iara, o Lobisomem, o Boitatá e a Cuca.

Pulando e brincando

Outra brincadeira clássica para celebrar o Dia do Folclore é pular num pé só. Simples, divertida e boa para qualquer momento com as crianças. Bóra fazer como o Saci?

Uivar para a Lua

E que tal, imitar o uivo do lobisomem? Solte suas feras e dêem um uivo bem alto a plenos pulmões! E se vocês forem para o banheiro da casa, a acústica vai ajudar ainda mais nos efeitos especiais da brincadeira!

Com lanternas

Já o Curupira, é um menininho muito esperto, cheio de querer defender os animais, espantando os caçadores da floresta com suas artimanhas e sustos. Vamos então, brincar de Curupira, usando lanternas?

Cada um escolhe um lugar para se esconder num dos cômodos da casa, com sua lanterna. Um fica de fora. Será o caçador. Quando o caçador chegar perto do Curupira, ele precisa acender a lanterna e tentar assustar o caçador para longe!

A serpente de fogo

Tem uma brincadeira que veio da Guiné, mas é ótima para nos lembrarmos do Boitatá. Se chama Caça à Anaconda. Para brincar, você precisa de uma bolinha macia e pelo menos mais 4 amigos.

Façam uma fila com todos que estão brincando, um segurando na cintura do outro, formando uma serpente. Um dos participantes fica de fora. Ele será o caçador da anaconda.

Se houver muitas crianças, podemos fazer dois ou mais caçadores.

Os caçadores jogam a bolinha um para o outro (ou vai batendo a bolinha no chão, se for um só caçador), circulando a serpente. Até que arrisque acertar a bolinha nos pés da última criança da serpente. Se for atingido, ele passa a ser o caçador e quem era o caçador assume o posto na frente da anaconda.

Claro, que a anaconda, esperta como o Boitatá, fica se mexendo, serpenteando e se enrolando, para proteger seu último jogador dos caçadores.

Caso a serpente seja muito grande (em uma gincana de festa de aniversário, por exemplo), cada jogador acertado, vira um caçador e ninguém assume o papel de cabeça da serpente. Então, o jogo termina, quando a serpente se resumir a uma criança só.

A sereia

Aqui em São Paulo, ainda está frio, mas sempre que minhas filhas pode ir para a piscina, elas gostam de se imaginar como sereias. A dica é aproveitar a brincadeira de imaginação e trocar a Ariel pela Iara, e explorar histórias mais próximas das serias reais dos mitos do Brasil e de outros países. Na foto, a Carol, filha da Patricia Marinho.

A mulher do padre

E que tal, trocar o tradicional “Pregar o Rabo no Burrinho” por este mini “Colocar o Rabo na Mula-sem-cabeça”? A gente fez esta versão aqui, e você pode usar uma fita de cetim ou tecido, com uma fita crepe para brincar com as crianças.

Imprima a imagem aqui em uma folha de sulfite. Prenda na parede. Em seguida, prepare a cauda da Mula-sem-cabeça, usando um pedaço de fita de cetim ou de outro tecido. Pode ser também um retângulo de papel, pintado de marrom. Prenda uma fita crepe na ponta da fita, deixando um pedaço do crepe para fora (ele é que vai colar no desenho da Mula).

E deixe as crianças brincarem de corajosos cavaleiros da Mula-Sem-Cabeça!

Lendas são cultura pura

Com um pouco de imaginação, dá para pensar em mais brincadeiras que relembrem os personagens folclore brasileiro. Eu acho ótimo ter a oportunidade de contar para os meus filhos sobre as lendas brasileiras. Estes mitos fazem parte da nossa cultura e nos ajudam a entender como nosso País descreve seus costumes, valores e tradições.

Para quem quer conhecer um jeito bem diferente de ilustrar os personagens do nosso folclore, tem esta reportagem do Segredos do Mundo, do canal R7.

Para ver mais brincadeiras, tem outro post nosso sobre o assunto.

Por fim, que tal conhecer um pouco mais sobre a importância da brincadeira e ter dicas de brincadeiras para os momentos em que está com seu filho? A Newsletter Tempojunto chega semanalmente no e-mail dos inscritos, com dicas de brincadeiras para todas as idades, dividida por faixa etária. A inscrição é gratuita.

+ Seja o primeiro a comentar

Comente

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.