Diversidade de culturas na brincadeira de amarelinha africana


Sempre dizemos no Tempojunto como a brincadeira é parte da cultura de um povo e de um lugar. E mostrar brincadeiras diferentes para as crianças, vindas de outras culturas é uma forma de trabalhar a diversidade. A Amarelinha Africana ou Teca-Teca é um destes jogos super gostosos de brincar e que traz a cultura de outra região na linguagem das crianças.

Para brincar de Amarelinha Africana, você precisa desenhar no chão o traçado do jogo. Pode ser com giz, ou fita crepe. É preciso formar um quadrado, com 16 quadrados menores dentro. Assim:

As minhas filhas acabam aproveitando qualquer chão com quadrados que elas encontram. Nesta foto, por exemplo, estamos no hall do corredor de um prédio.

Amarelinha africana para coordenação

Um dos diferenciais dessa amarelinha é que duas crianças pulam ao mesmo tempo. Ou em grupos de dois em dois.

Cada participante começa a brincadeira de um lado do gráfico, com cada pé em um quadrado. Eles devem pular para os quadrados à direita ao mesmo tempo.

Depois de pular para os dois quadrados ao lado, eles pulam de volta onde começaram o jogo. Aí saltam para os quadrados em frente. Olha na foto a Cururuca e a Potcho começando o jogo. Uma de frente para a outra.

E a Teca-teca (outro nome da Amarelinha Africana) continua nesta sequência. Em algum momento, as crianças se encontram no meio da amarelinha. Se estiverem coordenadas, elas vão cruzar o tabuleiro, sem bater uma na outra.

Deste jeito, a brincadeira africana desenvolve também a coordenação e a cooperação. E quando há mais crianças, o trabalho em equipe é fundamental para que todas estejam pulando no quadrado, sem darem encontrões.

Para começar, em fileira

Uma forma mais simples de jogar a teca-teca é em uma fila, com as crianças entrando no quadrado para pular, assim que a da frente completar a primeira sequência de ida e volta.

Então, eu sei que escrevendo é difícil de entender o jogo. Por isso, fiz um vídeo das meninas jogando.

Fala se não é uma dica joia para uma gincana com os amigos ou uma festa de aniversário? Ah! Você reparou que tem uma música que elas cantam para dar ritmo à brincadeira? A música é a seguinte:

Minuê, minuê, le gusta la dance.
Le gusta la dancê, la dança, minuê

A brincadeira de origem afro pode ser jogada, do jeito mais simples, com crianças a partir de 5 ou 6 anos. E os mais velhos podem tentar formas mais elaboradas do jogo, com 4 participantes. Um de cada lado do quadrado, formando várias configurações. Sempre sem bater um no outro.

E no canal ABC dos Jogos, no Youtube, eu encontrei este vídeo, onde eles mostram algumas variáveis do jogo. Confesso que eu ainda preciso brincar mais do jeito mais simples, para depois me aventurar nos outros. E você?

A Teca-Teca é conhecida em toda a região do continente Africano. Por isso, a consideramos uma brincadeira da cultura africana. Entretanto, a África é um continente, com uma diversidade enorme de países. Cada um com sua cultura, costumes e brincadeiras.

No link aqui, da Ideia Criativa, há outras brincadeiras com origem em países da África, que vale à pena consultar. E nós também iremos fazer em casa trazer aqui estas brincadeiras.

Aliás, sabia que no Youtube também tem a playlist Lista 10 Tempojunto? São 10 brincadeiras para cada faixa etária das crianças, a partir do nascimento, até 12 anos. Acesse!

6 Comments

Comente
    • 2
      SAC Tempojunto

      Olá Adriana, tudo bem?
      Não sabemos exatamente quando foi inventada a versão africana da amarelinha, somente a Amarelinha, que veio de Roma, quase 6.500AC

  1. 3
    ADRIANA

    oi estou muito interessada na brincadeira para trabalhar com meus alunos neste período de isolamento. você pode me passar o nome da musica esto procurando porem não estou achando.

  2. 4
    Bel Borges

    Olá! Muito legal o post. Porém ficou aqui uma dúvida: Você começa o texto falando que “a brincadeira é parte da cultura de um povo e de um lugar”. Fico aqui pensando… qual seria o povo e o lugar? A África é um continente e tem 54 países, com mais de 2000 línguas diferentes! Imagine quantas culturas!? Acho bacana falarmos de diversidade cultural, mas é importante saber de que cultura estamos falando.Precisamos deixar de tratar a África como se ela fosse um país. Trabalhar a diversidade é justamente desfazer esses estereótipos que vemos reforçados aqui e para isso precisamos nos aprofundar. Vocês são formadoras, oferecem cursos e servem de referência para muitas pessoas – famílias, educadores, recreadores… Sugiro que vocês procurem atualizar o post com essas informações que faltam.
    Um forte abraço e parabéns pelo trabalho!

    • 5
      Patricia Camargo

      Oi Bel, tudo bem?

      Muito obrigada pelo seu comentário super pertinente. Este ano e em 2021 o Tempojunto trabalhará de forma transversal com diversidade cultural em nossa produção de conteúdo (como fizemos com o tema de deficiência em anos anteriores). Claro que não chegaremos a abordar a incrível amplitude de diversidade cultural e nem temos esta pretensão.

      Mas vamos abordar brincares que tenham em sua essência uma história, uma cultura. Seja indígena, que entra exatamente nesta mesma questão que você coloca: os povos indígenas brasileiros são muitos, múltiplos e diversos. E algumas brincadeiras devem ter sua origem o mais específica possível.

      Entretanto, há brincadeiras que transcenderam uma única região e se tornaram parte de uma cultura maior. Volto ao exemplo indígena para citar a peteca, que é um brinquedo que faz parte de várias tribos e etnias indígenas diferentes, sendo, hoje considerada, sim um brinquedo da cultura indígena. Este é o caso da Amarelinha Africana. Ela é uma brincadeira que acontece em vários países e culturas dentro do continente Africano, a ponto de ser considerada uma brincadeira africana. Há festivais que percorrem vários países com disputas e apresentações da brincadeira. Por isso, sua origem inicial, até onde foi nossa pesquisa (e conversamos com pessoas que trabalham com a cultura dos países africanos) é incerta e não pode ser afirmada.

      Mas estamos atentas ao que você disse e concordamos com seu ponto de vista. A África não pode ser tratada como um país. Vamos publicar outras brincadeiras assim que possível, neste transversal de diversidade cultural e tomaremos em vista a importância de diferenciar a cultura de países e o que forma o todo de uma cultura negra.

      Este link é um exemplo de brincadeiras com origens em diversos países africanos que iremos abordar. https://www.ideiacriativa.org/2015/10/sugestoes-de-jogos-e-brincadeiras-africanos.html

      E se você por acaso tiver alguma fonte segura que tenha a origem confiável do país da Amarelinha Africana, por favor, compartilhe conosco para incluirmos a informação no post. Beijo

  3. 6
    Bel Borges

    Olá, obrigada pela resposta!
    Eu estou pesquisando e encontrei o nome dessa “amarelinha”. É Teka Teka e está registrada em um livro chamado “Jogos de Moçambique”, dos autores António Prista, Mussá Tembe e Hélio Edmundo. Gostaria, se possível, saber a fonte sobre os “festivais que percorrem vários países com disputas e apresentações da brincadeira”. Procurei bastante e não achei nada sobre isso. Apenas sites e vídeos produzidos em diferentes países, inclusive europeus e asiáticos, mas nenhum país africano.
    Desde já agradeço!

+ Leave a Comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.