Dicas de brincadeiras para mostrar a seus filhos como respeitar as diferenças


Uma das faces do desenvolvimento integral das crianças é o social. E saber respeitar as diferenças é uma etapa importante deste processo. Neste post trago 5 dicas de brincadeiras que vão ajudar a mostrar para as crianças como entender que todos somos diferentes. E que isso é bom! todos.

Respeitar as diferenças é entender que cada pessoa pensa e age de maneira única. Ninguém (nem seus filhos) é obrigado aceitar ou concordar com opiniões e estilos que divergem dos seus valores. Entretanto, ofender e discriminar alguém apenas por ela não ser compatível com o seu jeito de ser, não é legal e vai contra os direitos de qualquer indivíduo.

Respeitar as diferenças é um passo para o sucesso no futuro

Pode até haver discussões sobre o assunto, mas a gente acredita que as crianças nascem com a capacidade da empatia e com a habilidade de aproveitar as diferenças entre cada um, de maneira que juntos se consiga alcançar o objetivo desejado.

Assim, em tese, naturalmente as crianças saberiam respeitar as diferenças.

Porém, as influências externas dos adultos, mesmo aquelas inconscientes, acabam mostrando às crianças que as diferenças são coisas a serem evitadas. Que, em lugar de buscar o complemento entre elas, afinal todos somos diferentes, deve-se buscar o distanciamento, porque a diferença seria um defeito.

Daí que acabamos tendo que aproveitar as brincadeiras para retomar o respeito às diferenças, a empatia e a capacidade de trabalhar as diferenças em conjunto.

A origem da palavra respeito está no latim respectus e indica um sentimento de apreço, consideração, deferência, algo que merece um segundo olhar, uma segunda chance, uma segunda atenção.

Por isso, nossas dicas de brincar levam a esta reflexão e a ajudar as crianças a perceberem a importância de olhar para as outras crianças e para si mesmo como diferentes e complementares.

Todos têm seu lugar e seu valor

1. Criar rostos com partes diferentes

Escolha e recorte de revistas com seu filho várias partes de rostos: muitos olhos, bocas, narizes, orelhas. Coloque tudo num saco ou sacola opaco.

Desenhe no papel, contornos de rostos sem cor.

A brincadeira é montar rostos diferentes com as partes que vocês sortearem da sacola. Façam pelo menos 3 rostos. Vejam as diferenças. Pintem os rostos da cor que preferirem. Procure aproveitar para falar que nenhum é igual e não tem um mais ou menos bonito, mais ou menos certo.

Gincana do tapete

Esta é para fazer em grupo. Com pelo menos 3 crianças. As idades podem variar.

Você vai precisa de um tapete. Quanto menor o tapete, maior a dificuldade de cumprir a gincana.

A tarefa é virar o tapete do lado avesso, com todas as crianças sobre ele. Só não é permitido sair do tapete.

Esta é uma brincadeira que trabalha diferentes habilidades das crianças e você pode aproveitá-la para conversar sobre como trabalhar junto e respeitar as diferenças de cada um.

Jogar Twister

O Twister é um jogo mais conhecido, que as pessoas competem para ver quem consegue ficar mais tempo dentro do tabuleiro. Tem um post aqui no blog que ensina o que é o jogo e como fazer o tabuleiro e as regras em casa.

Só que neste caso, há uma regra nova no jogo: As crianças não competem entre si. Mas formam um grupo. Ou seja, se um cair, todos deverão recomeçar o jogo.

Estabeleça um número de rodadas para a brincadeira ter começo e fim. Quando mais novas as crianças, menos rodadas. Trabalhando diferenças físicas juntas, as crianças podem se ajudar e o grupo todo ganha.

Respeitar as diferenças no caminho cego

Para esta brincadeira, você vai precisa de uma venda e um espaço em que seu filho possa andar livremente.

A proposta é que uma pessoa vendada tenha que percorrer um percurso com obstáculos, dependendo da orientação de outra pessoa conversando com ela.

A brincadeira trabalha com a empatia e em como alguém pode ser ajudado ou pode ajudar.

O desenho mais bonito do mundo

Eu amo esta brincadeira, porque ela mostra de um jeito muito simples e concreto para as crianças a vantagem de respeitar as diferenças. De valorizar justamente o fato de nada ser igual.

Você vai pedir para seu filho fazer o desenho mais bonito que ele puder, representando (escolha algo que ele goste), com o material que der para ele.

Faça dois grupos de materiais. Primeiro, um com variedade e canetinhas, lápis, tinta, giz de cera, cola, papel colorido. Ou seja, coloque materiais os mais variados possível. E deixe seu filho fazer a arte que quiser.

 

Depois, o segundo grupo. Ele deverá ter apenas um tipo de material. Por exemplo 4 ou 5 canetinhas da mesma cor. Ou 7 gizes de cera da mesma cor. É importante que tenha quantidade do mesmo material.

Então, no final, pergunte a seu filho qual desenho foi mais legal de fazer (não faça a referência de bonito ou feio). Para mostrar como é mais legal a gente brincar com “os diferentes” do que só com “os iguais”.

Ensinar tolerância às crianças é importante porque aquele que aprende a respeitar as diferenças entre as pessoas terá mais oportunidades na educação, nos negócios e em muitos outros aspectos da vida. Sucesso no mundo de hoje – e amanhã – depende em ser capaz de entender, apreciar, trabalhar e aprender com pessoas diferentes.

+ Seja o primeiro a comentar

Comente

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.