Você no Tempojunto: Brincar um pouquinho por dia traz o apego com seu filho


Porque eu (a Patcamargo) e a Patricia Marinho temos nossas histórias de brincar, mas a nossa história não é a única é que criamos esta série Você no Tempojunto, que já vem há mais de um ano mostrando como outras famílias, outras realidades também têm na brincadeira a porta de vínculo e apego com seu filho.

E a gente aqui no Tempojunto se encanta com tantas histórias legais que merecem estar aqui. Hoje quem conta sua realidade é a Sagra Celeste.

A Sagra está com a gente desde que o João, o filho dela, era um bebê. E ela nos acompanha até hoje, com ele já aos 5 anos.

Peguei uma das primeiras conversas que tivemos no Facebook para apresentá-la e apresentar um pouco do por quê de ela estar aqui: “Sou enfermeira. Meu marido tem empresa de manutenção naval e viaja muito. Por isso, fazemos de tudo para o João estar sempre perto do pai. Já ficamos 15 dias em um hotel só para João ficar mais perto do meu marido. Fazemos presente quando o pai vai chegar, ele cria vídeos dos barcos contando do dia. Quando o João era menor, colocava uma camiseta do pai num travesseiro e íamos brincar”.

E a partir das brincadeiras é que a Sagra leva o dia a dia dela com o João, mantendo um vínculo super gostoso e afetivo com ela e com o marido.

Tempo que a criança precisa para brincar

Hoje com 5 anos, o João vai à escola. Mas a Sagra tem outra característica super legal e que sempre falamos muito: Respeitar o tempo das crianças. “No período da manhã ele está na escola e já saímos da escola brincando. Por exemplo, tentando encontrar formigueiro, diferentes folhas secas, promover a gentileza (esses dias entregamos biscoitos para um flanelinha).” Tudo isso, requer dar tempo de a criança descobrir e reparar em tudo que está ao seu redor.

“À tarde, nos dias em que ele não tem atividades extras, brincamos com o que ele escolhe: ler um livro, brincar de massinha, TV, guerra de travesseiro, alguma atividade com água ou atacamos de master chef da cozinha( fazer pastel, bolo, brigadeiro).”

Aqui eu entro de novo para que a gente perceba como é possível ter uma variedade de brincadeiras com os filhos e que a TV também está incluída nesta gama de brincadeiras. Só não precisa ser o tempo todo. Dá uma olhada aqui em algumas brincadeiras que a Sagra nos mandou. Eu particularmente AMO a brincadeira com água colorida no quintal.

E tem muito mais que ela propõe para o João e que deixa que ele venha com a ideia. “Montar projetos para montar Lego (ele quer robótica +Lego). Aí, contamos com ajuda do pai e estamos fazendo o primeiro projeto.

Dar importância ao que a criança gosta

Mais um ponto que é uma super dica para criar o vínculo, o apego com seu filho é prestar atenção no que ele gosta e propor brincadeiras que tenham a ver com o assunto. A Sagra conta: “Ele adorar fazer experiência científica (sempre quer fazer novos experimentos) e me pede muito banho de chuva. O brincar é a melhor forma de descobrir uma criança.”

E ela continua: “o brincar pode estar incluso ao colocar a mesa de café da manhã. Quando eu era pequena, a gente brincava muitoooo dentro do carro, na casa inteira, no banheiro. A base familiar que sempre estimulou a independência sempre tínhamos tarefas em casa como regar plantas, tirar o lixo, arrumar a cama e como isso aprender a ter momentos de brincar sozinhos.

Para completar, a Sagra resumiu o que é a brincadeira e a importância de brincar para ela e a família:

“A melhor influência do ato de brincar é poder proporcionar a criança as melhores lembranças da infância. Em nossa família só esperamos da brincadeira traga memórias afetivas para o João”. E ponto final mesmo!

+ Seja o primeiro a comentar

Comente

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.