Aprender ciências é mais divertido com uma brincadeira de experiência


Aprender ciências pode ser mais simples para as crianças quando elas têm a oportunidade de experimentar e testar no mundo real o que elas aprendem nos livros. E quando a experiência é também uma brincadeira divertida para fazer com os amigos, fica melhor ainda!

Meu filho mais velho está com 8 anos e ele gosta muito de ciências. Mas nem todas as crianças curtem. Eu lembro que quando estava na escola, o que mais gostava era ir para o laboratório, simplesmente porque eu conseguia ver na prática o que estava nos livros.

Daí que sugerir brincadeiras para nossos filhos que têm um “quê” de experiência científica, além de divertido e muitas vezes surpreendente, também ajuda na matéria da escola 😉

Eletrostática na caneta

Eu já fiz em casa experiências como a nuvem de sabão e fiz um “cano de água invisível” com minhas filhas pequenas que elas amaram e foi super divertido ver como a água escorre grudada no barbante.

Desta vez, a brincadeira em casa foi mover um pedaço de papel, equilibrado numa caneta usando outra caneta, mas sem encostar no papel.

Para aprender ciências com esta brincadeira, você vai precisar de:

Um caderno espiral ou qualquer outro suporte que faça a caneta ficar em pé. Como um pouco e massinha de modelar, por exemplo;

Duas canetas plásticas;

Um pedaço de papel sulfite;

Mágica, descoberta ou desafio no aprender ciências

Eu vou contar como foi em casa, mas você pode escolher como apresentar melhor a brincadeira para seus filhos. Pode ser no formato imaginação e você contar uma história de mágicos. Neste caso, a caneta se transformará em varinha mágica. Funciona muito bem com crianças pequenas.

Para crianças maiores, como meu filho, você pode propor um desafio e deixá-lo pensar, antes de mostrar a brincadeira.

No meu caso, como minhas filhas menores estavam juntas, eu montei o brinquedo e os chamei para brincar.

Primeiro, prenda uma das canetas plásticas no espiral do caderno ou numa base de massinha. A caneta precisa estar na vertical.

Em seguida, pegue o papel e corte uma tira, como esta da foto.

Corte um quadrado desta tira. Ficará mais ou menos deste tamanho.

Dobre o quadrado de papel no meio e com cuidado, equilibre-o na ponta da caneta.

Força do atrito

Assim, a brincadeira está montada. Quando cheguei neste ponto, chamei meu filho para brincar. Ele achou tudo meio sem graça quando viu. E já quis se antecipar, fazendo o papel girar com o dedo.

Então, eu expliquei que a forma de brincar era esfregando a caneta no cabelo para aproximá-la, sem encostar do papel e fazê-lo girar. Primeiro eu mostrei como era.

Na hora em que o papel girou sem que eu encostasse a caneta, o espanto do meu filho foi tão grande que minhas filhas vieram correndo ver o que era e querendo participar.

Foi um tal de esfrega caneta no cabelo kkkkk

E cada um querendo fazer o papel girar mais do que o outro.

No final, todos curtiram a brincadeira da varinha mágica feita de caneta!

Para o meu filho, ainda comentei sobre a força eletrostática, criada pelo atrito do plástico no cabelo, tornando a caneta “polarizada como um ímã”.

Então, o que achou desta sugestão de brincadeira de ciências? Tem muito mais no blog, basta fazer uma busca por “experiência” ou “ciências”. E para você não perder uma dica legal como esta, inscreva-se gratuitamente na nossa newsletter. Você receberá semanalmente um e-mail com nossas sugestões de brincar.

+ Seja o primeiro a comentar

Comente

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.