Brincar com a incrível máquina de reação em cadeia de Rube Goldberg


Se pode simplificar, para quê complicar? Ora, para brincar!! É com este espírito que eu fiz o post de hoje. Minha filha mais nova, a Potcho, trouxe na agenda uma anotação de um vídeo “super legal”, segundo ela. Fomos ver. Era uma máquina de reação em cadeia. Também conhecida como máquina de Rube Goldberg.

A máquina é uma engenhoca cheia de etapas, onde uma ação desencadeia outra em série, formando circuitos. O resultado final em geral é uma atividade cotidiana e simples, que poderíamos fazer de outra forma. Como por exemplo, colocar uma bolinha numa caixa ou acionar um botão. Mas como eu disse antes, prá quê simplificar, se dá para complicar rsrsrs.

De trás para frente

A máquina de reação em cadeia que a Potcho nos mostrou foi esta Lemonade Machine. É realmente incrível a quantidade de
etapas que eles conseguiram criar, usando os vários cômodos da casa.

Quando vimos o vídeo acima juntos, a família toda achou a brincadeira muito divertida. Eu, de cara pensei em fazer alguma coisa com o mesmo sentido para o Tempojunto com o Pocoyo, de 9 anos. Mas foram as meninas que ficaram mais entusiasmadas com o desafio.

O segredo da máquina de Rube Goldberg é pensar de trás para frente. Ou seja, a reação em cadeia precisa partir do objetivo final até a etapa inicial.

Resolvi propor, então, a elas duas sugestões simples, sem nenhum compromisso de dar certo. Aliás, volta e meia comentamos aqui no Tempojunto. Brincadeira e brincar não tem necessariamente relação com o resultado. É o processo da brincadeira que importa mais.

Tentativa e erro

Para a Potcho, de 6 anos, eu pedi que empurrando uma bolinha, ela fizesse cair uma linha de dominós e o último teria que se encaixar bem no centro de uma peça de brinquedo.

Na foto acima, ela está fazendo as primeiras tentativas de enfileirar os dominós.

Aliás, brincar de reação em cadeia com dominós é, por si só, muito divertido. Tem um post sobre isso que a Patricia escreveu, contando sua experiência com a filha Carolina. Aqui ó:

Mas voltando à brincadeira em casa, para minha segunda filha, a Cururuca, de 7 anos, o desafio foi colocar uma bolinha numa caixa. Ela pegou vários materiais para fazer testes.

E ela chegou nesta engenhoca aqui:

Ao mesmo tempo, a caçula tentou, errou, tentou e foi aprendendo com o que fazia. Puro exercício de criatividade, raciocínio, persistência, paciência. Tudo numa brincadeira.

Parceria

Sabe o que eu observei nesta brincadeira também? Como minhas filhas são diferentes ao se defrontarem com um desafio. A Cururuca pediu para se concentrar e foi buscar em outras fontes, como meus livros de brinquedos caseiros, soluções para sua máquina.

A Potcho resolveu pedir ajuda do irmão mais velho para pensarem juntos no que fazer.

Diferentes. Nem melhor, nem pior. Apenas diferentes. E observar seus filhos brincando, como eu fiz, te dará sempre caminhos para entendê-los como eles são (e não como queremos que sejam). Ambas chegaram a uma construção da máquina.

Da Cururuca não consegui fotografar. Da Potcho com o irmão, olha só.

Com registro da primeira Máquina de Rube Goldberg dos Camargo!

Exemplos de reação em cadeia para criar em casa

O Manual do Mundo publicou uma máquina de reação em cadeia cheia de detalhes. Se você tem filhos mais velhos, acima de 10 anos, pode ser uma boa diversão para um fim de semana ou feriado em família.

Esta outra aqui, feita em casa por um garotinho, tem menos elementos. Mas para a gente aqui em casa ainda ficou complexo. E para você?

Então, espero que você tenha curtido a ideia desta brincadeira de raciocínio em criatividade! Acompanhe sempre o nosso blog, ou inscreva-se na nossa Newsletter. Estando nela, você recebe gratuitamente nosso e-mail semanal, com um resumo de todas as nossas brincadeiras e novidades.

+ Seja o primeiro a comentar

Comente

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.