Descubra que tipo de pai ou mãe você é para seu filho


Ninguém gosta de ser rotulado. Nem a gente no Tempojunto acha que rótulos resolvem alguma coisa. Porem, quando falamos sobre que tipo de pai ou mãe você é para seu filho, queremos lançar uma reflexão.

Porque quando paramos e nos comparamos com alguns padrões a gente consegue entender melhor nosso papel.

Assim, descrevemos aqui neste post 4 diferentes estilos de parentalidade. Temos Autoritário, Permissivo, Participativo e Negligente. Mas o tipo de pai ou mãe que você é pode variar muito e até mesclar ou alternar estes 4 estilos. Afinal, as pessoas são mais complexas do que e quatro tipos.

Os eixos apontam que tipo de pai ou mãe você é

Existem duas dimensões que podemos posicionar a parentalidade. Vamos pensar numa matriz. Num eixo está a Estrutura, ou seja, a disciplina e as expectativas com relação ao seu filho.

No outro eixo está a dimensão da Responsividade, que é a capacidade do adulto de atender às necessidades e sentimentos das crianças.

Em outras palavras:

Se você tem muita estrutura e pouca responsividade, é autoritário.

Tendo pouca estrutura e pouca responsividade, é negligente.

Se tem pouca estrutura e muita responsividade, é permissivo.

Se tem muita estrutura e muita responsividade é participativo.

Chegar ao equilíbrio participativo

Em um eixo: estrutura – disciplina e expectativas
Em outro eixo: responsividade – atender necessidades e sentimentos das crianças

O nosso ideal deveria ser chegar o mais próximo possível do equilíbrio entre os dois eixos. Então, o tipo de pai ou mãe que você é estará dentro da categoria “Participativo”.

Isto significa ser um pai ou mãe que:

1. Escuta as crianças;
2. Não assume as responsabilidades por elas;
3. Tem valores claros e define regras para a casa e que impões consequências quando não são cumpridas;
4. Se posiciona como uma pessoa que ajuda seu filho a aprender a tomar as decisões certas;
5. Estabelece uma relação de confiança que começa na infância e segue na vida adulta.

Até porque, quando a gente quer mandar na vida dos filhos, em geral controlamos, gritamos, ameaçamos. Ou se superprotegemos, cedemos, consertamos, fazendo coisas que eles deviam fazer sozinhos.

Em ambas as formas, ao pensar em que tipo de pai ou mãe você é, induzem os filhos a fracassarem em aprender com as experiências.

Se você se interessou sobre esse assunto e quer saber mais, temos um vídeo no nosso canal no Youtube que explica melhor e traz outras dicas.

+ Seja o primeiro a comentar

Comente

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.