6 dicas para se conectar com seu filho na hora de brincar


É com uma imensa alegria que apresentamos para vocês a nova coluna do Tempojunto. “Brincar exige conexão” vai trazer mensalmente um papo sobre o tempo junto de famílias e crianças com autismo. Apesar que se conectar com seu filho na hora de brincar é algo que é fundamental para todas as crianças. Então, a leitura será certamente útil para todos.

E quem estará por trás dos textos das colunas é a querida Michelle Costa. Ela já havia escrito no site uma coluna sobre dicas de apps e jogos eletrônicos legais para as crianças. Olha, estes posts até hoje fazem muito sucesso por aqui! Mas agora o papo será outro, focado na experiência dela com neuropsicologia e na atenção a crianças com autismo e suas famílias.

Aproveito para indicar o Instagram da Michelle, o @michelleterapiadecrianca com várias dicas de brincadeiras e atividades que conectam as crianças. Segue lá, e por aqui também! Sem mais delongas, acompanhe este texto MARA de abertura com 6 dicas para se conectar com seu filho na hora de brincar:

“Estamos vivendo dias difíceis e no meio deles, têm crianças! O que pode ser maravilhoso, mas vai exigir de nós, adultos, muita sabedoria para lidar com todas as demandas que vão surgir.

Porque crianças demandam conexão, buscam por nós o tempo todo e nesses dias, muito mais.

Brincar é sempre uma estratégia excelente para quebrar o tédio e entreter as crianças. Mas me conta uma coisa: Durante o brincar, você busca controle ou conexão?

Controlar a brincadeira o tempo todo, dizendo como fazer, com o que brincar, de que forma… tira da criança as possibilidades de envolver funções cognitivas como planejamento, flexibilidade cognitiva, manutenção da atenção…durante o brincar.

Para se conectar com seu filho: brinque!

Já o brincar com conexão, permite que a criança descubra suas habilidades, compartilhe seu pensamento, estimule funções superiores e reforce o vínculo entre vocês.

Separei algumas dicas para brincar com conexão e elas vão favorecer todas as crianças, tenham elas um desenvolvimento típico ou atípico.

1. Observe o interesse da criança

Esteja atento ao tipo de brinquedo que ela gosta de brincar e de que forma brinca. Entre na brincadeira dela. E construam juntos momentos de troca, sem muita cobrança , mas com muita criatividade.

2. Brincar com conexão não é um quiz

E por isso não brinquem fazendo perguntas o tempo todo, como:
Que cor é essa?
Que número é esse?
Quantos têm aqui?

3. Invistam em rotinas sensório-sociais

Que são aquelas brincadeiras de jogar pra cima, correr pra pegar, cócegas, aviãozinho, apertar sua bochecha e fazer barulhos…

4. Dancem juntos

Coloquem músicas animadas que vocês possam dançar e cantar bem alto.

5. Se escutem

Falem sobre coisas que gostam de fazer. Coisas que sentem saudade. Conversem sobre uma viagem que fizeram. Preferências. Conte coisas da sua infância…

6. Tenham momentos de relaxamento

Pode ser uma massagem nos pés, uma música que acalme, deitar no chão e observar nuvens no céu…

No mais, se permitam descobrir que dias difíceis nos aproximam do outro e para isso precisamos ter leveza para encontrar conexão.

Bons momentos por aí!”

Michelle Costa
@michelleterapiadecrianca
Psicopedagoga
Esp. Neuropsicologia

* A foto que ilustra a capa deste post é do Bernando, que sempre esteve por aqui, desde recém-nascido ilustrando as brincadeiras com bebês. Hoje ele já está com 4 anos e aparece na foto brincando com a mamãe Patricia. O cotidiano e reflexões da família (tem também o papai Vinícius) estão no perfil de Instagram @deamorazul Acompanhem também!

+ Seja o primeiro a comentar

Comente

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.