7 formas de ajudar nossos filhos a lidar com pesadelos


Eu não sei na casa de vocês, mas uma das mudanças bem aparentes no equilíbrio dos meus filhos em períodos de grandes mudanças é o aumento dos pesadelos. E por isso, eu achei muito legal a proposta da escola da Gabi, a filha da Patricia Marinho, de seis anos, sobre como ajudar nossos filhos a lidar com pesadelos.

Então, fui estudar mais sobre o que são os pesadelos e como eles acontecem no decorrer da vida das crianças, do nascimento até a adolescência.

Tomei como base principal, o livro Bom Sono, de Richard Ferber.

O pesadelo é um sonho que se torna assustador e libera um gatilho no cérebro que desperta a pessoa. A maioria dos sonhos, mesmo os assustadores é esquecida, a menos que despertemos no final pelo menos brevemente.

1 – Lidar com pesadelos passa por entender que são reais para quem sonha

Os bebês até 2 anos não compreendem a diferença entre sonho e realidade. Ele legitimamente não sabe que o sonho acabou. Daí ser muito importante que seu bebê seja acalentado após um pesadelo. Até ele perceber que está seguro. Nesta idade é importante que seu filho perceba que você conseguirá protegê-lo do pesadelo.

Estes sonhos ruins, em geral, estão relacionados com eventos recentes do dia a dia dos bebês.

Por isso, a primeira dica para ajudar nossos filhos a lidar com pesadelos é:

Ter o aconchego dos pais

Não adianta tentar fazer com que o bebê entenda que foi só um sonho. Ele precisa de aconchego, ser carregado no colo e confortado.

Se os pesadelos forem ocasionais, deitar-se na cama dele ou permitir que ele deite na sua cama não vai gerar mau hábito, fique tranquilo que isso não deixará seu filho mimado ou mal acostumado.

A partir dos 2 anos, os sonhos ganham fantasia, podem ter a figura de monstros ou animais selvagens. E eles refletem muito eventos assustadores ou ansiedades muito recentes.

2 – Desenhe o pesadelo, amasse e jogue no lixo

Ao entrar também na fantasia para lidar com o pesadelo, você fala a mesma língua que seu filho compreende. Assim, fica mais fácil para a criança perceber que você está no controle da situação.

Então, desenhe o monstro dos pesadelos e amassem, rasguem e joguem no lixo. Ele vai perceber que pode superar o pesadelo.

Sensações imaginárias são reais

Conforme seu filho cresce, já fica mais claro para ele separar o que é sonho, do que é real. Mesmo assim, o medo e as sensações ruins do pesadelo são reais e a gente precisa entender isso.

Daí que ter um companheiro de sono – um boneco, uma naninha – ajuda à criança a voltar a dormir sozinha, depois de ser acordada por um sonho ruim. Lidar com pesadelos também tem a ver com manter o máximo possível o mesmo ambiente que seu filho estava ao dormir.

Em outras palavras, se ele dorme na sua cama e acorda na cama dele, ele vai despertar mais facilmente. Se a luz do quarto estava acesa, e ele acorda com a luz apagada, ele pode despertar também.

3 – Abraçar bem os bichos de pelúcia

Deixe que seu filho pequeno tenha um companheiro de sono. E talvez, se ele dormia com a luz apagada, pode começar a pedir que haja uma luz acesa no quarto. Não menospreze o pedido, dizendo que ele “já é grandinho para isso”; ou “você nunca precisou de luzinha, vai usar agora?”.

Mantenha a luz no período que o pesadelo é mais frequente, até que a angústia que o estiver provocando seja resolvida.

Entre 3 e 6 anos, as crianças começam a lidar socialmente com impulsos, ora agressivos, ora sexuais, comuns nesta idade. Os pesadelos também refletem esta situação e outros medos, como de perder o amor dos pais, ou acompanhar muitas discussões em casa.

Para ajudar seu filho a lidar com pesadelos nesta fase, é importante que durante o dia, você tenha momentos de tranquilizá-lo sobre estas emoções. Compreender que são normais, evita que se tornem monstros de pesadelos.

O pesadelo reflete as angústias

4 – Fazer um cartaz: abaixo o pesadelo

Estes cartazes são atitudes concretas para lidar com pesadelos. Quanto mais concreto, melhor para as crianças até os 10 anos conseguirem materializar as angústias relacionadas aos sonhos.

5 – Fazer um desenho com um monstro e colocar sob o travesseiro

Aqui é ter o monstro protetor dos sonhos. Você também pode fazer com seu filho um apanhador de sonhos para pendurarem no quarto.

Crianças a partir de 7 anos, tendem a ter menos pesadelos. E ao perceber que eles acontecem, é legal conversar e lidar com o que possa estar gerando a ansiedade durante o dia.

A partir da puberdade e ao longo da adolescência, novos conflitos, mudanças físicas e emocionais e desafios sociais podem ocasionar o aumento novamente dos pesadelos.

Para ajudar nossos filhos mais velhos a lidar com pesadelos nossas últimas dias dicas são:

6 – Fazer exercício de respiração antes de dormir

Talvez, esta seja uma prática que ainda está fora da sua rotina. Mas ela é excelente, para crianças mais velhas, adolescentes e para adultos também.

Respirar antes de dormir, coloca os pensamentos em ordem e acalma o cérebro, preparando-o para uma noite tranquila.

7 – Transformar o pesadelo em história boa

Pode ser em forma de diário, pode ser como história em quadrinhos ou como vídeo no celular.

Mas ajude seu filho a transformar o pesadelo em algo bem humorado. O medo e a ansiedade tendem a diminuir.

Se vocês assistem ou leem a saga Harry Potter, vão encontrar esta dica traduzida num feitiço chamado “Riddikulus!”. Ele é usado justamente para vencermos o monstro Bicho Papão, que toma a forma dos nossos maiores medos – e pesadelos.

Para terminar, vale lembrar que todas estas dicas são válidas em qualquer idade. Mesmo um adolescentes podem precisar de um aconchego no meio da noite.

Quer ter acesso à novidades do Tempojunto? Então, inscreva-se gratuitamente em nossa Newsletter. Toda a semana, você recebe nossos posts novos e mais dicas de brincadeiras para ter um tempo melhor com seu filho. Clique aqui.

+ Seja o primeiro a comentar

Comente

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.