7 atitudes que você faz e atrapalham ou ajudam a criatividade do seu filho


Criatividade é uma competência fundamental para vários aspectos da nossa vida. E provavelmente você enxerga a criatividade do seu filho todos os dias.

Na verdade, 83% dos seguidores do Tempojunto acredita que o filho seja criativo.

Mas será que a criatividade do seu filho vai continuar ao longo da vida?

Esta imagem acima vem de um teste aplicado por cientistas que avaliavam a capacidade criativa de engenheiros da NASA.

Eles seguiram 1.600 crianças dos 5 aos 25 anos. E perceberam que, conforme ficavam adultos, menos crianças mantinham seu potencial alto criativo.

É de casa que se torce o pepino, ou se torce a criatividade do seu filho

Muito deste declínio é provocado, segundo especialistas em desenvolvimento infantil, pela escolarização. A escola tradicional tende a desvalorizar a criatividade em relação ao conteúdo.

Entretanto, a família também tem seu quinhão de responsabilidade no incentivo à criatividade das crianças. Tanto, que criamos uma Semana da Criatividade Infantil no Tempojunto. São encontros ao vivo gratuitos em que nos aprofundamos no benefício da criatividade e em formas de estimulá-la. A isncrição para a Semana é neste link.

Vou colocar, então, aqui para você 7 atitudes que temos no dia a dia e que ajudam ou prejudicam a criatividade do seu filho. Assim, fica mais fácil para sabermos como estimular o pensamento criativo deles naturalmente.

Pois, vamos começar com as coisas que a gente faz no dia a dia e que atrapalham a criatividade dos nossos filhos e a gente nem percebe:

1 – Criticar em excesso

Mesmo com a melhor das intenções, críticas devem ser dirigidas ao comportamento, jamais à criança.
E, mesmo assim, de maneira cuidadosa.

Repetir o tempo todo: “Você é bagunceiro!” não faz ninguém se tornar organizado. Mas: “Vamos arrumar estes brinquedos de um jeito bacana juntos?”, ensina e ainda dá o exemplo de como falar com os filhos sem magoar.

Agenda cheia = menos criatividade

2 – Ambiente despreparado

Sabe aquela casa em que só tem “nãos” para a criança? Então, este é um ambiente despreparado. E muitas vezes, bastam pequenas mudanças para que as crianças tenham mais autonomia em casa para brincar e explorar em segurança.

Como pais, a gente pode proporcionar ambientes rico em estímulos e seguros, que permitam brincadeiras exploratórias, despertem a curiosidade e o desejo de criar e modificar.

IMAGEM INFOGRÁFICO

3 – Manter a criança sempre ocupada

Ao contrário do que se pensa, uma agenda lotada com atividades, sem tempo livre, não favorece a criatividade. Pelo contrário: tira dela a oportunidade de estimular a imaginação.

Seu filho precisa, de vez em quando, ficar sem fazer nada. Afinal, são nos momentos de tédio e ócio criativo que ela desenvolverá suas ideias, imaginação e entusiasmo por seus próprios projetos.

A gente vai falar mais sobre tudo isso na Semana da Criatividade.

Bora falar agora das atitudes certas, que a gente também pode fazer a toda hora e que estimula a criatividade dos nossos filhos:

1 – Estimular os seus gostos e habilidades

Do que seu filho gosta? Não vale dizer: “videogame”. Mas o que ele gosta no videogame? É da aventura do jogo ou do movimento? E além disso? Que outras habilidades ou gostos seu filho tem?

Quando criança, são muitas as novas experiências. E é comum as crianças gostarem de uma coisa hoje e outra diferente amanhã. Elas estão justamente testando para descobrirem quem são e o que gostam de fazer.

Obviamente não é para colocá-la em milhares de cursos ou investir muito dinheiro em uma atividade que será esquecida daqui há alguns meses. Mas incentivar que seu filho possa conhecer diferentes categorias de propostas: esportivas, artísticas, matemáticas, de leitura e escrita, de contos de fadas, cientistas ou mecânicos.

E, ao encontrar algo que goste, buscar oportunidades para que ele se aprofunde.

Diversidade de culturas

2 – Incentive a pergunta

Outra forma de incentivar a criatividade do eu filho é deixar que ele pergunte. Você já reparou que fazer uma boa pergunta é meio caminho para a resolução do problema? Ter vontade de fazer perguntas, e aprender a fazer essas perguntas, saber formular hipóteses, tudo isso no processo de exploração das crianças. Elas questionam, testam suas dúvidas e conseguem ir além do óbvio.

Não ter medo de perguntar, hoje em dia, é uma característica fundamental em qualquer trabalho.

3 – Deixe que se filho chegue às próprias respostas

Da mesma forma que uma boa pergunta, nada melhor que permitir a elaboração da resposta. De hipóteses que levem às conclusões.

Você não precisa saber de tudo sempre, mas ao contrário, pode deixar que seu filho encontre as respostas, devolvendo para ele a pergunta.

“O que você acha que pode ter acontecido?”; “Como você acha que a pessoa se sentiu?”; “Imagine-se no lugar desta situação: como isso pode ter acontecido?”. São exemplos de perguntas que levam seu filho a pensar nas próprias respostas.

4 – Apresente a seu filho outros lugares e culturas

Quando você apresenta o seu filho ao que é diferente, você não apenas ajuda seu filho a abraçar a diversidade, como amplia o seu repertório. Museus, viagens, conhecer a história de outras culturas através de livros, filmes, músicas, tudo isso estimula a imaginação.

Bóra, então, estimular a criatividade do seu filho com boas atitudes no dia a dia?

+ Seja o primeiro a comentar

Comente

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.