Vamos brincar de pequeno cientista?


Você sabia que as brincadeiras ajudam a desenvolver o cérebro das crianças? Pois é, praticamente toda brincadeira é uma oportunidade de desenvolver aspectos sociais, emocionais, cognitivos e motores das crianças. Por exemplo, quando a gente coloca a criança para fazer uma observação da natureza, está estimulando a curiosidade do pequeno cientista que toda criança nasceu para ser.

Como despertar a curiosidade do seu pequeno cientista?

Quando falo que a criança nasceu para ser cientista é porque tanto meninas quanto meninos vêm ao mundo com uma habilidade natural de explorar. Eles começam usando os cinco sentidos para decodificar o mundo a sua volta e depois acrescentam habilidades cognitivas. Quando a gente menos espera, estão usando a linguagem para descrever o que observam. Eu acho que uma das melhores coisas de ser mãe é justamente testemunhar esse desenvolvimento.

Por incrível que pareça, despertar a curiosidade das crianças é mais fácil do que você imagina. A resposta está no uso das oportunidades do cotidiano. Basta ser um adulto atento que você vai ver oportunidades aparecendo a toda hora, em qualquer lugar.

Um universo de possibilidades em um jardim!

Vamos aproveitar, por exemplo, um dia no quintal ou ambiente que tenha uma área verde. Comece perguntando para a criança: “Você está vendo algum animal aqui por perto? Pode ser um inseto!”. A Gabi levou um tempo observando o ambiente e encontrou formigas no chão.

Em seguida eu perguntei para ela “o que será que as formigas estão fazendo?”. Com esse tipo de pergunta, eu estou despertando a curiosidade da Gabi. Ela tem que formular e apresentar hipóteses como base na sua experiência e na sua observação.  Sabe a Luna, do desenho Show da Luna? É por aí! “São tantas perguntas”, costuma dizer a Luna.

Da minha primeira pergunta, surgiram várias outras, porque a formigas estavam subindo na árvore.

“Por que as formigas estão subindo na árvore? O que é essa coisa verde na árvore?”

“Olha o buraco na árvore! Será que mora alguém aqui?”

“E como é que pode nascer uma planta no tronco da árvore?””

Por aí vai. Sem roteiro pré definido. As perguntas vão surgindo conforme a situação. O importante é colocar a criançada para pensar e formular suas próprias hipóteses.

Que tal essa ideia? Tem sempre uma sugestão nova aqui no blog. Se você não quer correr o risco de perder, inscreva-se na nossa turma da Newsletter. Semanalmente, informamos todas as novidades do Tempojunto por e-mail.

+ Seja o primeiro a comentar

Comente

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.