Cidade Dorme é um jogo que envolve os filhos de várias idades


Gosto de me atualizar sobre jogos e brincadeiras “do momento”. Especialmente as que tem potencial de virar uma brincadeira que será conhecida por várias gerações de crianças. Foi assim quando conheci o Ninja-ho. E agora com o jogo de Cidade Dorme, que aprendi recentemente e foi ótimo jogar em casa.

Para começo de conversa, antes que alguém levante a mão, Cidade Dorme é um jogo que tem muitas variações. Ele pode ser bem simples, como o que eu vou mostrar neste post, e que funcionou bem para meus filhos, com 8, 7 e 6 anos.

Mas o jogo também pode ganhar contornos mais elaborados, personagens diferentes e várias rodadas de jogo, o que é legal para quem tem filhos mais velhos e também para adolescentes. Por isso, de cara já deixo o link do Cidade Dorme na Wikipedia, com mais variações do jogo. Eu já vi até baralho feito só para o jogo. Mas você só precisa de lápis e papel para escrever o nome dos personagens.

Um detetive moderno

O jogo foi feito para um número grande de participantes, 7 a 10 pessoas. Mas em casa adaptamos para nós 5 (eu, meu marido e as crianças) e funcionou bem. O segredo é aumentar ou reduzir o número de personagens, conforme o número de participantes. Como estou escrevendo num período de férias, Cidade Dorme é ótimo para reunir os amigos dos filhos em casa.

Aliás, é uma ótima pedida também para uma noite do pijama ou uma festa de aniversário em casa. Mas vamos ao jogo.

Para começar, o grupo sorteia os personagens. Nós fizemos estas cartinha acima como exemplo para você. Se quiser, no final do post está o link para baixá-las e imprimir.

No nosso caso, o “assassino” e o “lobisomem” são variações do mesmo personagem. Escolha o que for mais interessante na sua casa.

Cada um sorteia seu personagem. Uma das pessoas fica de “narrador” da história. O narrador precisa ficar de fora do jogo. Bom, descobri jogando que se houver poucas pessoas, o narrador também pode ser um personagem, desde que ele durma também ao dar as instruções.

Da mesma forma que o jogo de Detetive (aquele que o Assassino pisca para matar os cidadãos e é descoberto pelo Detetive), o objetivo do Cidade Dorme é descobrir o Lobisomen ou Assasino o mais rápido possível.

Anjos e pessoas comuns

O jogo começa com o narrador pedindo que todos durmam: “Cidade Dorme”, ele diz.

Então, uma a um ele chama dos personagens e pede que façam uma ação. O personagem chamado “acorda” e, sem fazer barulho, só com gestos ou apontando continua o jogo. Na brincadeira em casa fica assim:

Narrador: Cidade Dorme!

Narrador: Lobisomen acorda. Olha em volta e aponte ou toque na cabeça de quem você irá pegar.

Narrador: Cidade Dorme

Narrador: Anjo acorde. Olhem e escolha uma pessoa que você irá proteger. Toque na cabeça dela. (na foto abaixo a Cururuca era o anjo)

Narrador: Cidade Dorme

Narrador: Cidadãos acordem e se cumprimentem

Narrador: Cidade Dorme

Narrador: Detetive acorde. Escolha quem você quer investigar. (então o narrador faz um gesto com o polegar para dizer ao detetive se a pessoa escolhida é “do bem” ou “do mal”; pode-se combinar que o narrador também conte se a pessoa é anjo).

Narrador: Cidade Acorda

Isto foi uma rodada. Então, o narrador aponta para as pessoas que morreram, ou seja, foram pegas pelo Lobisomen e não foram salvas pelo anjo.

Versão simples, mas com raciocínio

Quando o grupo é grande, ou com crianças mais velhas, é possível ter uma breve discussão sobre possibilidades do que aconteceu, para que o Detetive perceba quem é ou quem são os Lobisomens. Mas em casa, para simplificar, o que acontece é que cada um, depois da rodada aponta para quem seria o Lobisomem.

O detetive, então, decide se vai na dica de algum jogador, ou não e diz quem seria o Lobisomem da vez. Se acertar, os “mocinhos” ganham a rodada. Se errar, a vitória é dos “bandidos”.

E assim, vamos jogando. Olha, no começo eu achei que seria complexo demais, mas depois que eu entendi as explicações dos meus filhos (eles haviam jogado na escola), deu para jogar bem, foi divertido e repetimos várias vezes! Inclusive, em outros dias, com amigos, com os tios e a família! Aproveite!

Ah, como prometi, aqui estão nossas cartas do Cidade Dorme. E se você quer sempre tem novas ideias de brincadeiras para passar um tempo de qualidade com seus filhos, faça parte da Newsletter Tempojunto. Enviamos somente uma vez por semana para seu e-mail as brincadeiras e novidades do Tempojunto, já separados por faixa etária. Basta se inscrever gratuitamente.

2 Comments

Comente
  1. 1
    ciça

    paty, dessa vez não entendi bem a brincadeira…todos ficam deitados e de olhos fechados enqto a cidade dorme e só no fim a cidade acorda e o detetive fala?

    • 2
      Patricia Camargo

      Oi Ciça, tudo bem? É mais complicado explicar escrevendo do que eu pensei rsrsr. Mas vamos lá. A brincadeira tem etapas. Em cada etapa uma parte da cidade acorda. O restante fica dormindo. E no final, todos acordam e o detetive dá sua primeira opinião. Assim ó:

      1. Todos dormem
      2. Acorda só lobos/assassinos e apontam quem querem matar – volta a dormir
      3. Acorda só o anjo e aponta ou toca na cabeça de quem ele quer salvar – volta a dormir
      4. Acordam os cidadãos e se olham – voltam a dormir
      5. Acorda o detetive. Ele pode apontar para alguém e o juíz diz com o polegar se é do bem (anjo e cidadãos) ou do mal (lobo)
      6. Acordam todos e o detetive faz sua aposta. Quem ele apontar como lobo sai do jogo, não importa que papel tenha. Se for o lobo, acaba a brincadeira. Se não for, todos dormem e tudo recomeça.

      Vocês podem combinar quantas vezes o detetive pode fazer sua aposta. Ou combinar que o detetive vai eliminando pessoas. Se o lobo sobrar, ele vence.

+ Leave a Comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.