Como entender melhor seu filho em 7 passos simples


Talvez uma das questões que mais nos confrontamos como pais é como educar os filhos. E o receio de errar acaba sendo uma fonte de culpa. Uma das formas de estar melhor consigo mesmo nesta caminhada é entender melhor seu filho. Conhecer melhor seu filho é uma das coisas que a brincadeira te ajuda no dia a dia.

Entender seu filho significa “anotar” mentalmente o que você percebe sobre o jeito dele, suas preferências e o que não gosta e acompanhar as mudanças.

Quando você colocar em prática estes 7 passos simples para você entender melhor seu filho, perceberá algo incrível: quem é na realidade esta pessoinha que você tanto ama.

O filho que idealizamos X o filho que temos

Acontece muito, a ponto de ser descrito por estudos científicos de comportamento e de parentalidade, de nós termos na nossa cabeça o filho que idealizamos. E nem sempre esta imagem que temos corresponde ao nosso filho real.

O que não significa que seja pior. Ao contrário. Nosso filho real é melhor que aquele idealizado. Pelo simples fato de ser único, com seus sentimentos, sua forma de ver o mundo, seu jeito. E se não percebermos isso, podemos tratá-lo de um jeito que ele não entende.

Nada mais saudável para o desenvolvimento da criança e para a relação entre vocês, do que conhecer seu filho do jeitinho que ele é.

Onde entra a brincadeira nisso tudo? “Ela é a chave de ouro para conhecer nossos filhos”, disse a psicóloga Patricia Garcia, aqui mesmo numa entrevista para o blog.

A brincadeira para conhecer seu filho

foto: Drika Trevisan Fotografia

Então, bora ver nossos 7 passos simples para você entender melhor seu filho. Eles vão fazer toda a diferença na vida de vocês.

1. Ouvir, mais do que falar

Nós temos sempre muito o que falar para os filhos. E, em geral, já começamos qualquer situação com eles, falando. Isso dá pouco tempo para ouví-los.

Estamos em um momento de parentalidade distraída. Quando os adultos só estão de corpo presente perto dos filhos, mas permanecem desatentos.

Ouvir, mais do que falar, é o antídoto para a parentalidade distraída e um meio eficaz de entender melhor seu filho.

2. Observar o fato, sem fazer análise ou tirar conclusões

A estudiosa do brincar e documentarista Renata Meirelles foi quem me explicou como é importante a gente parar para observar as crianças, sem ficar se preocupando em analisar tudo o que acontece. Basta observar.

Diversidade e imaginação

3. Testar variedades de brincadeiras dirigidas

Quando conhecemos as crianças, em geral, podemos dizer do que eles mais gostam de brincar. E, desta forma, ao passar um tempo com eles e no dia a dia, podemos aproveitar este conhecimento para nos aproximarmos dos nossos filhos.

Veja estas perguntas que podemos fazer para saber do que nosso filho gosta de brincar.

Detalhe: não há certo ou errado, característica melhor ou pior nas respostas destas perguntas. Elas são somente um apoio para você perceber seu filho e propor brincadeiras que ambos gostem. Assim, o momento entre vocês será legal e com certeza fará parte de uma rotina lembrada com muito carinho no futuro.

4. Dar tempo para a brincadeira livre e entender o que seu filho quer

Quando somos adultos tendemos a nos esquecer que haviam brincadeiras que a gente também não gostava quando criança seja qual for o motivo. Daí, na hora de brincar com nossos filhos, optamos pelo “o que todo mundo faz”, “o que está na moda”, “o que eu vi outras crianças fazendo”. Talvez por isso eles não queriam brincar conosco!

5. Deixar que ele conviva com amigos. Permitir o diverso

Uma rede que apoia e traz novos olhares

Ao clicar na imagem acima, você acessa nosso e-book Brincar e Inclusão, com textos e dicas de brincadeiras para todas as crianças.

Mas este passo para entender melhor seu filho é mais amplo do que isso. Permita que seu filho brinque com as crianças que vocês encontrem. Seja na praça, na escola, na viagem. A diferença de culturas, de conhecimento, de idade, de situação financeira fará com que você observe como seu filho lida com o diverso.

6. Arte, desenho, brincadeira de imaginação falam muito sobre seu filho

Proporcione tempo e materiais para seu filho criar. Seja em alguma forma de arte – plástica, música, dança, filme -, ou em brincadeiras de imaginação.

7. Parceria com a escola, parceria com a rede de apoio – outros olhares

Você já ouviu a expressão “farinha do mesmo saco”? Pois é. Às vezes, estamos tão envolvidos em uma situação, que torna-se difícil olharmos de outros prismas.

Mas a rede de apoio entre você e seu filho pode ser justamente este olhar novo. Que vai te ajudar a entender melhor seu filho. Por isso, converse com a escola, com outros adultos cujas casas seu filho frequenta.

+ Seja o primeiro a comentar

Comente

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.