Como gastar a energia do bebê com uma brincadeira simples e divertida


Quando temos um bebê em casa, em algum momento você pensa: “como gastar a energia do bebê?” Parece que não vamos dar conta dos nossos filhos. Porém, pensar em atividades e brincadeiras para o bebê não só gastar energia, mas se desenvolver é mais simples do que parece.

Eu explico. Os bebês, especialmente nos primeiros 24 meses de idade, já são especialistas em gastar e energia que têm. Isso porque tanto o cérebro está em alta atividade, quanto o corpo está crescendo a cada dia.

E todas estas pequenas mudanças para nós, adultos, são transformações enormes para o bebê. O que normalmente acontece é que o ritmo e os horários do seu filho talvez não coincidam com o que você gostaria.

Então, a impressão que temos é que eles precisam o tempo todo de incentivo nosso para gastar sua energia.

Ter uma rotina de brincar ajuda

No vídeo abaixo, a gente explica como criar uma rotina de brincadeiras com seu bebê. A partir dela, será mais fácil para você equilibrar seu dia a dia e proporcionar que seu bebê brinque, sem exageros. Na medida.

Você pode clicar no link e baixar a nossa lista com os passos para criar uma rotina de brincar para seu bebê. Assim, você acessa quando precisar.

O tempo influi na hora de gastar a energia do bebê

Outra coisa que faz diferença é quando entendemos que a atenção dos bebês é naturalmente curta. São muitas coisas a serem exploradas, aprendidas, experimentadas ao mesmo tempo.

Por isso, um bebê brinca ou faz uma atividade em geral por 15 a 20 minutos. Mas isso não é o fim do mundo. Calma!

Ao mesmo tempo que ele tem uma atenção focada por alguns minutos, é possível repetir a mesma brincadeira ou atividade várias vezes.

Deste jeito, você não precisa de um arsenal de brincadeiras, de inúmeros brinquedos ou de um espaço novo a cada dia. Basta repetir de tempos em tempos. Como a brincadeira de hoje, que eu chamei de “Apresentando o Rei Leão”.

Mas que brincadeira é esta? Uma super simples, que provavelmente você já viu alguém fazer. Talvez você já tenha feito instintivamente, mas sem a intenção de promover uma brincadeira para gastar energia.

Aqui, eu fotografei a Danusa brincando com a Luísa, que estava com aproximadamente 18 meses. Primeiro, ela segura o bebê de frente para si, e lentamente vai girando-o para fora.

 

A energia se consome nos detalhes diferentes da rotina

Só deste movimento, o bebê já utiliza mais energia para manter o senso de equilíbrio.

Em seguida, a Danusa foi erguendo a Luísa devagar, como um elevador.

 

A Luísa, em princípio fica apreensiva. Depois, vai se acostumando com o movimento e com o que ela consegue ver deste novo ângulo. Repare na foto como ela ainda olha para baixo.

Em seguida, a bebê percebeu que é possível ver sua imagem refletida na porta do armário da estante. Este é mais um elemento de novidade que faz o cérebro consumir uma energia danada para registrar as experiências.

Quando ela desceu do “elevador”, ficou olhando para cima, para ver se a descoberta se repetiria.

Ou seja, uma brincadeira muito simples de subir e descer o bebê, mostrando um novo ângulo das coisas. Mas ao vermos em detalhes, é possível perceber quantas novidades seu filho vai lidar e, por consequência, gastar a energia do bebê, mesmo em uma brincadeira menos agitada.

Uma alternativa, é colocar o bebê no seu ombro e passear com ele pela casa. Só se lembre de fazer isso, quando ela já conseguir sentar firme e manter as costas alinhadas.

Caso, além do seu bebê, tenha outra criança mais velha em casa precisando gastar energia, veja as dicas de brincadeiras neste post “10 atividades para gastar a energia das crianças” ou neste: “Brincadeiras divertidas para gastar energia com uma bexiga“.

+ Seja o primeiro a comentar

Comente

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.