10 brincadeiras sensoriais para bebês de 12 a 18 meses


Ontem a Gabi completou 1 ano e 6 meses e resolvi fazer uma série de 3 posts com as atividades mais legais que fiz com ela nos últimos 6 meses. Assim eu continuo a prática de agrupar brincadeiras num único post para facilitar a vida de quem busca ideias no blog. Eu já fiz as melhores atividades para bebês de 0 a 6 meses e também para os bebês de 6 a 12.  O  tema de hoje serão as melhores brincadeiras sensoriais para bebês de 12 a 18 meses. Na quinta vou falar dos melhores jogos e na terça da semana que vem das melhores atividades de artes.

Eu sei que nesta fase, sendo o primeiro, segundo ou terceiro filho, a gente sempre tem dúvidas. E ter mais dicas de brincadeiras para esta fase ajuda bastante! Por isso, a gente trabalhou com o carinho de sempre e criamos este e-book gratuito com dicas para criar espaços de brincar para seu pequeno. Acesse aqui

Ebook area de brincar_1

O mais legal para mim neste processo de fazer esses posts que são compilados de ideias é voltar para trás e ver como a Gabi cresceu e como eu consegui fazer um monte de coisas com ela. Para quem não seu ainda o texto Sobre aqui do blog, que explica a história do Tempojunto, um do motivos que me levou a começar a escrever foi achar que as minhas filhas, quando estiverem mais velhas, vão adorar ler estes textos que contam como eram nossos momentos juntas na sua infância. Espero que eu esteja certa e é por isso que eu tento colocar muito carinho em cada brincadeira que faço e em cada post que escrevo.

As descobertas sensoriais foram a principal novidade na minha forma de brincar com as minhas filhas. Eu nunca tinha ouvido falar em Maria Montessori na vida enquanto a Carol era bebê. Agora sou encantada com o efeito desse tipo de atividade no desenvolvimento da Gabi. Desde dezembro, quando a minha caçula completou um ano, olha só o tanto de coisa legal que a gente fez!

1-Descoberta Sensorial com Gel

Basta colocar gel num ziploc, misturar alguns objetos coloridos ou interessantes (eu usei olhinhos. Podia ser lantejoula, por exemplo), e colocar o bebê para interagir. Como eu estava numa fase de estimular a Gabi a andar, coloquei o ziploc colado na janela da varanda para que ela tivesse que ficar em pé para brincar. Mais detalhes de como tudo aconteceu você encontra neste post aqui.

descoberta sensorial para bebês - Gabi com o saco

2-Observar a natureza

Uma forma bem mais simples de brincar, que não requer nenhum tipo de material, é simplesmente garantir que os bebês tenham contato com a natureza. Mãos nas pedrinhas, mãos nas folhas, sentir o vento, ouvir os pássaros. Tudo isso é aprendizagem. Eu conto mais detalhes deste tipo de atividade aqui.

Verão em casa com um bebê de 1 ano - gabi com pedras

3-Brincar nas poças de chuva

Outra brincadeira que envolver a natureza é simplesmente deixar as crianças brincarem com a chuva. Aproveitar as poças e pular, é um exemplo. Aqui eu conto como foi o contato da Gabi com a chuva.

Brincadeira sensorial para bebês nas poças de chuva - Gabi com as mãozinhas na poça

4-Colar e descolar pompom no papel contact

Aqui tenho duas versões de brincadeira. Na primeira usei o contact preso no vidro da janela, como fiz com o saco de ziploc, para que a Gabi tivesse que se levantar para brincar. Depois dei para Gabi alguns pompons (podia ser bolas de algodão) e a brincadeira era colar e descolar do contact.

Atividade com Papel Contact - gabi com pompom

5-Colar e descolar post-it

Esta atividade é mais recente. Ao invés de colocar o contact no vidro, ele foi para o cadeirão. Enchi de post-it colorido e a atividade da Gabi era colar e descolar. Neste caso, o movimento de pinça (usar o indicador e polegar para pegar os objetos), já é mais evidente. Eu fiz esta atividade de colocar post-it no cadeirão sem o contact e funcionou também.

Brincadeira divertida para bebês com post-it e contact - gabi sentada

6-Brincar com algodão e um pote

Outra coisa que você pode fazer é deixar o bebês explorar alguns materiais. Sempre com supervisão para não deixa-lo engolir o que não deve, mas nesta fase já dá para começar a falar “isso na boca não. Não é comida.” e o bebê aos poucos aprende. Até porque necessidade de usar a boca para “entender” o objeto vai diminuindo com o tempo. Um material simples de ter em casa e bom de explorar é o algodão. Num primeiro momento, dei apenas bolas de algodão e um pote vazio para a Gabi. Neste post eu conto detalhes de como foi.

Brincadeira simples para bebês - maozinha dentro do pote de algodão

7-Brincar com algodão molhado

Agora se você dá para a criança o algodão e uma caixa organizadora com água, a brincadeira é outra, completamente diferente. São muitas as coisas que a criança pode explorar. Veja o video abaixo. Se você não tiver algodão por perto, só a caixa, com água e alguns brinquinho, já funciona.

8-Explorar uma “Caixa de Arroz”

Por falar em caixa organizadora, uma outra brincadeira interessante é encher uma caixa dessas com arroz, colocar brinquedos e utensílios e deixar a criança brincar. Toda vez que posto este tipo de ideia preciso falar com as pessoas que têm medo de deixar as crianças colocar coisas na boca, que apesar da gente ter que evitar os riscos (um grão entrando no nariz, realmente é perigoso), a gente também precisa deixar a criança explorar os materiais. Como estamos falando de Tempo Junto, o objetivo é que sempre haja um adulto cuidador por perto. Se a criança levar o arroz cru na boca (porque ela precisa levar os objetos na boca como parte do processo dela de entendimento de que objeto é esse), o que deve acontecer é que ela simplesmente não vai gostar e não vai colocar mais. E se engolir um ou outro grão, não tem problema porque é apenas arroz. Lógico que não é para a criança deixar o arroz cru do pote virar uma refeição! É hora de ensinar que certas coisas não devem ficar indo a boca como já disse acima. Acredite, os bebês entendem e começam a separar o que pode ou não ser levado à boca.

Olha aí a Gabi explorando a sua “Caixa de Arroz”:

9- Mexer com Areia

Explorar a areia, seja da pracinha, seja um ambiente que tenha areia comestível, como esse aí da foto, também é muito bom!

brincadeira sensorial - gabi com baldinho na areia

10-Mexer com Massinha

Por último, uma brincadeira mais recente, mas que fez muito sucesso com a Gabi e que vai render ainda mais, com certeza, na medida em que ela cresce: mexer com massinha! Se quiser saber como faz a massinha caseira comestível, clique aqui.

Brincadeira sensorial com massinha caseira - gabi sentada

Tem muito mais dicas de brincadeiras aqui no site. É só usar uma das nossas ferramentas de busca para encontrar o que precisa. E se você não quiser perder nenhum conteúdo que publicamos para bebês, clique aqui para baixar o seu ebook “Como montar uma área de brincar” e entrar para a nossa lista de emails. Toda semana mandamos um resumo que foi publicado no blog para você. 

Ebook area de brincar_1

43 Comments

Comente
  1. 2
    Gil

    Oi Patricia. Estou amando seu Blog muito criativo. Tenho uma bebe de 1 ano e 3 meses super curiosa e essa atividades estao ajudando muito. Que inspiracao viu, obrigada. Tenho uma duvida, com que frequencia vc fazia atividades sensoriais nesta idade que a minha esta? Tipo eram todos os dias e quantas atividades no dia. Grande Beijo!

    • 3
      Patrícia Marinho

      Ola Gil! Que bom que você está gostando :-)
      Eu procuro fazer atividades sensoriais novas uma vez por semana. Algumas se tornam rotina e são repetidas com freqüência. A Gabi ainda fica em casa comigo e/ou com a babá. Temos um esquema de na parte da manhã, depois que ela acorda, fazer uma atividade de artes (em geral giz ou massinha) e uma atividade de concentração (como montar blocos ou quebra-cabeças). Depois ela brinca livre por certa de uma hora antes do passeio matinal. A tarde é mais dedicado a brincar livre e atividades de coordenação motora grossa (subir, correr, escorregar) no playground do prédio, aproveitando a companhia das outras crianças.
      Mas não tem certo ou errado. Você pode fazer a agenda conforme as características do bebê. Se você conseguir fazer uma atividade por dia, revezando entre jogos, sensorial, artes, coordenação motora fina, coordenação motora grossa vai estar ótimo! O resto é brincar no ritmo e nos interesses das crianças. Ok? Beijos, Patrícia

  2. 4
    Camila

    Olá gostei muito dos seus textos! Meu filho tem 1 ano e 1 mês quero muito fazer essas atividades sensoriais, mas minha dúvida é como, pois ele ainda está na fase oral em q tudo q pega põe na boca. Já pensei em fazer essa q põe numa caixa grãos e esconde os objetos p ele achar mas acredito q ele vai pegar os grãos p comer kkk… algodão, enfim tudo leva p boca. Vc pode me ajudar?

    • 5
      Patrícia Marinho

      Olá Camila,
      Tudo bem? Obrigada pelo comentário. Vou ajudar sim. Seguinte, esta questão de oferecer objetos pequenos para as crianças vai depender muito de você. Me explico. Cada criança se comporta de um jeito, e portanto não há fórmula. Todas as brincadeiras do Tempojunto, em especial para bebês, devem ser feitas com uma supervisão bem próxima dos adultos.

      Com isso, uma experiência sensorial como esta dos grãos pode ter vários desdobramentos:
      . A criança levar um grão a boca, para experimentar e acabar cuspindo porque não é bom.
      . A criança tentar levar um grão a boca e você não deixar, avisando que não é para comer.
      . A criança nem levar o grão a boca porque está entretida com as outras possibilidades da brincadeira (Depende da criança).

      A possibilidade mais perigosa é a primeira, mas aí você precisa considerar o seguinte: seu filho já come coisas sólidas com tranquilidade? Ele sabe engolir bem? Se sim, não faz mal a saúde ele engolir um grão de arroz ou feijão crus. E o risco de engasgo é o mesmo que pode acontecer com um pedaço de fruta ou carne. O mais provável é que aconteça o segundo caso: ele leve a boca e descubra que não tem graça. E não coloque mais de novo.

      Outro ponto importante é que a fase oral passa. Se você não estiver confortável em experimentar uma atividade sensorial agora, pode esperar um pouco e fazer a brincadeira um pouco mais para a frente. A ideia do Tempojunto é fazer pais e filhos se divertirem juntos. Se alguma atividade for fonte de stress, simplesmente não faça, ok? Não faltam alternativas!

      O grande cuidado que você precisa ter é evitar que a criança coloque o grão no ouvido ou no nariz.

      Deu para responder?

      Beijos,
      Patrícia

  3. 6
    Mayra

    Olá querida, amei o seus post, vc é pedagoga? Eu tenho uma filhinha da mesma idade da sua, 1 ano e 6 meses e amei essas dicas .. Eu tentei pôr ela na escola, mas ela chorava mto, acabei ficando com pena e adiando o terrível momento pra o ano que vem.. Rss.. Queria mais algumas dicas pra estimular ela em casa, eu já estimulo com giz de cera, papel branco, comprei um kit de massa de modelar, mas tenho medo de ela colocar na boca, mas acho que vou incentivar ela a usar com minha supervisão.. A brincadeira do arroz não tem perigo de ela engolir os grãos?Outra coisa, como vc faz pra sua bbzinha brincar no parquinho? A minha tem pavor dos brinquedos, já tentei colocá-la mil vezes (balanço, escorrega, gangorra) e ela sempre abre o maior berreiro.. Acho que devo estar errando em alguma coisa… Vc poderia postar mais algumas dicas? Um grande beijo

    • 7
      Patrícia Marinho

      Oi Mayra,

      Obrigada pela mensagem. Não seu pedagoga, não. Mas outro dia, uma dona de uma escola que eu admiro muito me falou que, apesar de não ser uma pedagoga, eu era uma educadora. Confesso que fiquei feliz e passei a assumir o papel. Afinal, todos em volta de uma criança, educam.

      Mil desculpas pela demora em responder. Eu queria responder com calma, e acabei me esquecendo. Podemos nos falar melhor por email, se você quiser. Pode escrever para patricia@tempojunto.com

      No site, agora tem a busca por idade, então ficou mais fácil encontrar as brincadeiras para a faixa etária da sua filha. Tem um monte! As brincadeiras com grãos, quando feitas com supervisão próxima de um adulto, não são perigosas. Mesmo que criança ainda esteja na fase oral, em que levam tudo para a boca, você pode orientá-la. Mas é óbvio que você só deve deixar sua filha fazer uma brincadeira, se estiver confortável com elas. Antes dos grãos, tente objetos maiores como bolas de algodão.

      Agora, sobre a pracinha, tem duas coisas de um lado, as crianças têm suas preferências e ela pode gostar de algumas coisas e de outras não. Mas por outro lado, tem que ver se você está dando segurança para ela experimentar livremente, sem forçar, e sem demonstrar medo com os riscos que ela pode correr. Deixa-a brincar de forma livre que você vai percebendo do que ela mais gosta ou não. Se ela está chorando é porque tem algum desconforto.

      Beijos,

      Patrícia

    • 11
      Patrícia Marinho

      Que bacana, Raabe! Obrigada por deixar um comentário. A gente adora saber que estão usando as nossas dicas!
      Beijos

  4. 14
    ELAINE QUADROS

    Amei o site e as brincadeiras, nos relembram a infância. E o melhor, são brincadeira BBB, hoje em tempo de crise, não tem desculpa para não ter brincadeira legal. Parabéns.

    • 15
      Patrícia Marinho

      Obrigada, Elaine! A gente quer exatamente mostrar soluções para que mais e mais adultos incorporem a brincadeira com as crianças no seu cotidiano!
      Volte sempre!
      Beijos,
      Patrícia

    • 17
      Patrícia Marinho

      Que bom! Obrigada. Em breve vamos lançar um ebook em que organizamos todas as atividades sensoriais que fizemos com bebês de 0 a 2 em fichas para você consultar e imprimir sempre que precisar. Quem sabe vai te interessar?
      Beijos,
      Patrícia

  5. 20
    Fernando

    Nao se da massinha, arroz cru e algodao pra criancas nesta idade. Voce he irresponsavel, precisa estudar mais, nao tem ideia do q esta fazendo.

    • 21
      Patrícia Marinho

      Olá Fernando,

      Desde que eu comecei o blog, você é a primeira pessoa que me chama de irresponsável. Como faço sempre com toda crítica que recebo, parei para ler e pensar no termo que você usou e porque ele estaria sendo aplicado ao trabalho do Tempojunto.

      Confesso que quando comecei, quando a ideia era apenas compartilhar as minhas experiências pessoais e me espantei com as primeiras respostas, cheguei a pensar se seria irresponsabilidade impactar as pessoas com o que, a princípio, seria apenas um ponto de vista. A experiência de uma mãe que resolveu brincar com sua filha. No entanto, desde então, não apenas fui estudar sobre desenvolvimento infantil como busquei consultoria de educadores e especialistas em desenvolvimento infantil, para validar o conteúdo do que postamos. E tudo o que venho estudando, somada à opinião destes especialistas, nos dão segurança para saber do que estamos falando.

      Apesar de eu ter mantido o tom informal no texto (porque realmente conto o que faço com as minhas filhas), hoje faço parte da comunidade Frontiers of Innovation, do Center on the Developing Child da Universidade de Harvard. Meu papel, lá, é justamente para desenvolver projetos que têm o tema da brincadeira como aspecto determinante para o desenvolvimento integral das crianças. Todo este empenho foi justamente para trazer um conhecimento técnico, e não apenas prático, para tudo o que praticamos aqui. Queria deixar isto claro porque, de forma alguma, escrevemos sobre algo no qual não temos nenhum embasamento. Apenas não trazemos mais aspectos técnicos para os textos (são mais de 900 publicados aqui no blog) para não tornar a leitura maçante para leigos.

      Quanto a sua preocupação, entendo o seu ponto. As crianças nesta idade estão em plena fase oral. Sabemos que o impulso de levar os objetos à boca é natural e que o risco de engasgo com objetos pequenos existe. No entanto, como sempre falamos aqui no blog, o Tempojunto é um projeto de atividades entre pais e filhos. O adulto deve estar sempre presente, e com um olhar atento para todos os aspectos que envolvem a integridade física e a segurança dos bebês. Acontece que, nesta mesma fase, também começam a acontecer duas coisas: as crianças aprendem a deglutir alimentos sólidos e, do ponto de vista emocional, começa a entender a palavra não. A combinação deste dois fatores, faz com que o risco do contato das crianças com os materiais descritos acima seja minimizado e que se abra uma outra possibilidade que é, ao permitir o contato da criança com diversos materiais (a essência das atividades sensoriais) ela possa usar os seus sentidos para descobrir o mundo e se desenvolver. Esses são princípios defendidos por algumas correntes como a Montessori e a Reggio Emilia e praticada por mim, por centenas de famílias que nos seguem e por escolas que validam o nosso conteúdo e o usam em sala de aula.

      Todas, absolutamente todas as atividades que fazemos com crianças pequenas são frutos de pesquisa em diversas fontes, para que a estimulação seja adequada e compatível com o desenvolvimento neuropsicomotor das crianças.

      As correntes que praticamos não são unanimidade e de forma alguma pretendo mudar a sua opinião a respeito do que pode ou não ser oferecido como estímulo para bebês. Tanto que o nosso texto não perdeu a primeira pessoa e continua sendo a visão de mães sobre como usar a brincadeira para fortalecer o vínculo e promover o desenvolvimento integral das crianças. A única coisa que eu queria, com esta resposta ao seu comentário, era deixar claro que não somos irresponsáveis e nem postamos conteúdo sem buscar embasamento.

      Patrícia

    • 27
      Patrícia Marinho

      Olá Lucia,
      Obrigada pelo interesse. A gente não consegue mandar ideias específicas de uma faixa etária. Se quiser receber o nosso email semanal com o resumo do que postamos no blog, com ideias para todas as faixas etárias, é só se cadastrar e entrar na nossa lista. É grátis. o link para o cadastro é este aqui:
      http://bit.ly/Cadastro_Newsletter_Banner
      Beijos,
      Patrícia

  6. 32
    Roseane

    Olá!! Eu achei super interessantes as ideias, algumas fogem a minha realidade financeira, tipo post it, é caro demais pra desperdiçar e sem contar o arroz, mesmo que em pequena quantidade hoje em dia não tô podendo me dar esse luxo, mas as demais são ótimas, inclusive para fazer em casa em dias chuvosos. Obrigada!

    • 33
      Patrícia Marinho

      Olá Roseane,
      Realmente algumas das atividades foram exemplificadas com materiais que são caros mesmo. No caso do post-it, uma alternativa mais em conta seria grudar pedaços de fita crepe numa superfície plástica, deixando uma ponta descolada para a criança puxar. No caso do arroz, eu poderia dizer que dá para substituir um cesto com bolas de papel amassado. Você pega uma revista velha, rasga as folhas e amassa cada uma formando uma bola de papel. Depois coloca na caixa e “esconde” alguns dos brinquedos preferidos da criança, para ela “procurar” dentro do cesto. O importante é usar os recursos disponíveis com segurança, já que nessa fase ainda é comum a criança levar objetos à boca.
      Espero ter ajudado com essas alternativas.
      Beijos e obrigada pelo comentário,
      Patrícia

    • 37
      Patrícia Marinho

      Oi Rita,
      Obrigada pelo interesse! Acabei de incluir seu nome da lista para receber os nossos emails semanais. Espero que goste e aproveite.
      Beijos,
      Patrícia

  7. 38
    Alexandre

    Ótimas ideias. Já estou coletando algumas para brincar com a minha filha de 1 ano e 8 meses. Obrigado por compartilhar.

    • 39
      tempojunto

      Olá, Alexandre! Obrigada! Aproveite mesmo e brinque bastante com sua filha. Além de criar lindas memórias, o brincar ajuda no desenvolvimento das crianças :)

  8. 40
    Maria de Lourdes Mendes da Silva

    E maravilhoso ver como que penas coisas ,fazem uma criança feliz eu estava afastada das salas de aula agora vou voltar preciso me interar e aprender tudo que pode ajudar uma criança crescer feliz e estimular sua inteligência de forma tão simples onde tudo isso faz a diferença.

    • 41
      tempojunto

      Maria de Lourdes, obrigada pelo seu comentário :) Além do site, temos muitas dicas nos nossos vídeos no Youtube e no Facebook, Instagram e Pinterest. Dá uma olhada lá também e depois conta para a gente se você gostou!

  9. 42
    Renata Maciel

    Amei!!!!!!!!!! Sou mãe novamente depois de 15 anos e a profissão de pedagoga não me deixou menos preocupada kkkk além do mais, ja estou na casa dos 40 e perdendo o jeito com crianças pequenas kkkk mas fiquei super motivada com as brincadeiras e com a simplicidade que seu blog as apresentou! Parabéns!

    • 43
      tempojunto

      Olá, Renata, que bom que você gostou! Temos certeza que, no fundo, você não perdeu o jeito não :) Temos muitas brincadeiras aqui para você!!

+ Leave a Comment

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.