5 passos brincantes para incentivar seu filho a se adaptar diante das mudanças


Seu filho tem resiliência? Ele consegue se adaptar com as mudanças que acontecem no dia a dia? Bóra ajudar nossos filhos a se adaptar diante das mudanças.

Vamos dar 5 passos brincantes para você apoiá-lo nesta jornada, e ensinar resiliência para seu filho.

E a palavra mais forte foi justamente ADAPTAÇÃO. Capacidade de adaptação ou de resiliência é o que fez o ser humano sobreviver a tudo desde o início da sua existência neste planeta.

É uma das habilidades requeridas pelas empresas em entrevistas de emprego e que é desenvolvida ainda com as crianças pequenas.

Os bebês naturalmente tem a habilidade da adaptação nata: imaginem quantas mudanças eles encaram do instante que nascem e a cada minuto de suas vidas. Luz, calor, fome, cheiros novos, ambientes diferentes, sons nunca ouvidos, toque, roupas, fraldas.

Só que a habilidade de se adaptar ao novo, às mudanças pode continuar sendo estimulada nas crianças. E a melhor forma de fazer isso é por meio da brincadeira.

Se seu filho se adaptar, ele terá melhores desempenhos

Sem necessidade de resultado, mas focando somente na descontração, no descansar, no brincar pelo brincar. Saber se divertir, reduzir a pressão e ser bem humorado na adversidade é fundamental para a adaptação ao novo.

Além disso, em um estudo* sobre o desenvolvimento da resiliência desde a infância até a adolescência conduzido por mais de dez anos em uma comunidade urbana, pesquisadores concluíram que os fatores que mais influenciam o quanto um indivíduo se torna resiliente são, principalmente, a existência de relacionamentos positivos, o desafio intelectual e o bom desempenho acadêmico.

Encontrar um propósito = brincar

Quando temos um propósito, conseguimos superar de forma mais “suave” os sofrimentos e dificuldades que a vida nos apresenta. Criar metas concretas, ser criativo diante de adversidades e construir o hábito de ser inventivo, fazendo uso dos recursos disponíveis de formas inexploradas.

Tudo isso leva nossos filhos a visualizar possibilidades que muitas vezes não estão claras no início. Em outras palavras, mostramos ao nosso filho a se adaptar frente ao que acontece.

Durante o brincar, as crianças experienciam todas estas etapas, com a vantagem de podem experimentar soluções sem o “ônus” da vida adulta. É um verdadeiro laboratório!

Como ensinar resiliência na prática

Otimismo

: mostre que é sempre importante ver as situações, por piores que pareçam, pelo lado positivo. Só assim é possível pensar em soluções para resolver um problema.

Solidariedade

: as crianças precisam perceber desde cedo a importância de ajudar as outras pessoas. Entender que elas podem estar em uma situação privilegiada naquele momento, mas que outras não.

Amizade

: fazer e ter amigos é fundamental para que seu filho tenha uma vida social ativa e saudável. E é com a troca de experiência que ela poderá ver as adversidades sob outras perspectivas, além de ter em quem se apoiar quando precisar.

Gostar de si dá segurança para mudar o caminho

Controle emocional

: mostre ao seu filho que problemas existem, mas muitas vezes são menores do que o projetado. Mas respeite o momento que causou o estresse. Ensine-a a identificar quais foram esses fatores para que ela responda de maneira melhor caso ocorra novamente.

Rotina

: ajudar seu filho a se adaptar passa também pela criação de uma rotina. Definição de horários e atividades diárias é fundamental no combate à ansiedade. Só não se esqueça que a criança precisa de tempo – bastante tempo – para brincar livremente, sem compromisso, nem resultados.

Descontração

: saber encontrar soluções para as adversidades da vida também tem a ver com o descanso e o prazer. Se a criança passa a maior parte do tempo apenas com preocupações, dificilmente vai conseguir encarar a vida com leveza. Brincar traz esta leveza na vida. Aliás, para o adulto também, viu?

Autoestima

: a criança precisa desenvolver o quanto antes uma percepção positiva de si mesma para ser mais segura.

Fazer escolhas

: se seu filho começa desde cedo a ter uma noção do que pode ser feito ou não, do que lhe faz bem ou não, do que gosta ou não, tem muito mais segurança para tomar decisões importantes quando crescer. É essencial que ela tenha essa percepção para que possa agir e sair da inércia que situações difíceis possam gerar.

Aceitar as mudanças

: tudo está em constante transformação, e as crianças podem ser capazes de entender isso brincando. Essa percepção é relevante porque só assim elas conseguirão aceitar melhor as adversidades sem achar que são “azaradas” ou as únicas a passar por determinada situação.

Brincadeiras, atitudes e músicas para ajudar seu filho a se adaptar com mudanças

ATITUDES

– Não satisfazer todas as vontades. Mesmo que cuidem do bem-estar da criança, os pais precisam incentivá-la a resolver sozinha alguns desafios. Isso aumenta a sua autoconfiança.

– Não manter os filhos superprotegidos, como numa bolha. É claro que devemos protegê-los dos perigos, mas aprende-se ao experimentar, errar e começar de novo.

– Não dê respostas prontas. Em vez de explicar direto todos os “porquês”, mais vale instigar os filhos a pesquisar e demonstrar que eles são capazes de descobrir as próprias soluções.

– Estimular a perseverança. Aprender esportes ou um instrumento musical, por exemplo, nos mostra que só evoluímos com prática, dedicação, disciplina e superação dos próprios limites.

– Animar as crianças a estabelecer metas: uma nota mais alta na escola, um quarto mais arrumado, mais livros lidos por ano, fazer parte do time da escola, e assim por diante.

FRASES:

– “Não vamos deixar que esse problema estrague nosso dia”;

– “Isso parece muito difícil agora, mas você tem capacidade para fazê-lo”;

– “O que você aprendeu disso para que não aconteça na próxima vez?”;

– “Como podemos resolver isso juntos?”;

– “Um dia vamos rir disso tudo”.

Diz-se que Thomas Edison falhou 1000 vezes antes de inventar com sucesso a lâmpada. Quando perguntado como foi falhar 1.000 vezes, Edison simplesmente disse: “Eu não falhei 1.000 vezes”. A lâmpada foi uma invenção de 1.000 passos”.

Segundo pesquisa realizada no Center on Developing Children, da Universidade de Harvard: “O fator mais comum para crianças que desenvolvem resiliência é pelo menos uma relação estável e comprometida com um pai ou mãe que as apóia, cuidador ou outro adulto”.

PERGUNTAS:

Que funcionam muito bem com crianças mais velhas, acima de 9 anos.

– Quanto tempo você acha que leva até que as pessoas sejam boas em alguma coisa?

– Algumas pessoas são naturalmente boas em certas coisas?

– Diga algo que você gostaria de tentar, mas que tenha ficado muito assustado.

– O que é algo do qual você desistiu?

– Se você desistiu ou perdeu em alguma coisa, é tarde demais para tentar novamente?

Nós resumimos tudo nestes 5 passos brincantes para você ajudar seu filho a se adaptar diante de mudanças.

1 – Provoque a mudança de regras de um jogo

2 – Substitua um brinquedo durante uma brincadeira

3 – Brinquem de jogos que misturam estratégia com sorte

4 – Proponha brincadeiras de desafio a médio prazo

5 – Permita o brincar livre

*Masten AS, Gewirtz AH. Resiliência no desenvolvimento: a importância da primeira infância. Em: Tremblay RE, Boivin M, Peters RDeV, eds. Masten AS, ed. tema. Enciclopédia sobre o Desenvolvimento na Primeira Infância [on-line]. http://www.enciclopedia-crianca.com/resiliencia/segundo-especialistas/resiliencia-no-desenvolvimento-importancia-da-primeira-infancia. Publicado: Março 2006 (Inglês). Consultado: 27/07/2020.

Fontes de pesquisa: https://novaescola.org.br/conteudo/15537/resiliencia-na-escola-traz-desafios-mas-tambem-muitas-possibilidades

Descubra 11 maneiras de ensinar resiliência a seus alunos

http://g1.globo.com/educacao/blog/andrea-ramal/post/tres-maneiras-de-ensinar-resiliencia-criancas.html

O desenvolvimento da resiliência durante a infância

+ Seja o primeiro a comentar

Comente

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.